Homenagem a Ayrton Senna e Adrian Newey na Ferrari marcam primeiro dia em Miami

A quinta-feira, dia tradicional dedicado a atividades promocionais e de mídia para pilotos e equipe da F1, foi marcada por um tema principal em Miami: a saída de Adrian Newey da Red Bull, um movimento tão bombástico quanto a ida de Lewis Hamilton para a Ferrari, anunciada para 2025 antes mesmo da temporada deste ano começar.

E o ponto todo no paddock nesta quinta-feira no Hard Rock Stadium é justamente a ligação entre estas duas ‘bombas’. Em todas as entrevistas em que F1MANIA.NET esteve presente aqui em Miami, a pergunta inevitável sempre foi relacionada a saída do projetista que é considerado hoje um dos ativos mais importantes (senão O mais importante) em uma equipe de F1.

Em uma das mais concorridas coletivas de imprensa dos últimos anos, numa acanhada sala dentro do estádio de Miami, Hamilton foi questionando mais de dez vezes sobre o tema – e em algumas vezes ele mesmo deixar escapar que, sim, desejaria “muito” que Newey estivesse com ele neste projeto.

Mas o britânico foi enfático ao dizer que não poderia revelar se sua negociação com a Ferrari exigia essa cláusula – mas muito provavelmente foi um importante fator de convencimento para Lewis, sobretudo com a forte mudança de regulamento para 2026, onde Newey pode fazer de novo suas “mágicas”…

Os pilotos da Ferrari também falaram sobre o tema. Ainda que as primeiras perguntas fossem sobre o tom azul nos carros (que não ficou, digamos assim, tão azul – a ousadia acabou sendo transferida para os uniformes dos pilotos e para os macacões…), o tema Adrian Newey foi novamente tópico, sobretudo para Charles Leclerc, que estará ao lado de Hamilton em 2025.

“É claro que seria ótimo ter Adrian Newey em nosso time”, disse o monegasco com um sorriso no rosto, como quem já sabe do que será anunciado em breve. Na imprensa internacional, a especulação é que o “presente” para os tifosi seja dado justamente na véspera da corrida na Itália, no próximo GP, no Autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Ímola.

Sainz também foi questionado sobre seu futuro na Audi e, também fica claro em suas declarações o quanto o movimento já parece fechado e o anúncio é só mesmo uma questão de tempo. A nítida irritação de Bottas respondendo na entrevista coletiva sobre os rumos da Sauber já nesta temporada também dá um indicativo forte de que a vaga do companheiro de Nico Hulkenberg em 2025 já está preenchida pelo espanhol.

Em meio a todo este cenário, a Red Bull tenta manter a calma. Já há quem diga no paddock que Max Verstappen não se movimentaria em 2025 – ficaria na Red Bull mesmo sem Newey. Afinal, como o regulamento não terá grandes mudanças, a evolução do carro dominador atual certamente o colocaria numa posição forte de buscar o pentacampeonato para o ano que vem – já garantindo o tetra este ano, claro.

Mas e para 2026? O holandês certamente terá todo o mercado aberto pra ele e, com mais um ano de informações e bastidores, conseguirá decidir com mais precisão seu próximo passo – que pode ser Aston Martin, Mercedes ou até mesmo a permanência na Red Bull. Verstappen hoje, ao lado de Hamilton, é o único que tem o poder de escolher onde vai e qualquer equipe o receberia de braços abertos.

E para fechar a cobertura antes dos carros entrarem na pista, o GP de Miami também começou com uma bela homenagem a Ayrton Senna. Um mural logo na entrada do pit lane e também do paddock do Hard Rock Stadium agora celebra o legado do piloto brasileiro. Desenhado pelo artista Eduardo Kobra, o desenho ganhou bastante destaque nesta quinta, na inauguração em cerimônia da F1 reunindo o próprio muralista e também a sobrinha do piloto, Bianca Senna, CEO de Senna Brands.

Fique atento na transmissão deste final de semana que a arte deve ser destaque – bem como as especulações para 2025: o quebra-cabeças da próxima temporada vai se completando, mas novas surpresas podem aparecer a cada dia.

O F1MANIA.NET acompanha o GP de Miami ‘in loco’ com os jornalistas Victor D. Berto e Rodrigo França.