F1: Wolff explica suas interferências no rádio durante as corridas

Toto Wolff, chefe da Mercedes, justificou sua presença ocasional nas comunicações por rádio com os pilotos durante as corridas. O dirigente austríaco, que chamou atenção no GP do Canadá de Fórmula 1 ao pedir mais foco para George Russell, esclareceu a estratégia por trás dessas intervenções.

“Existem momentos em que falo com eles (pilotos). Preciso intervir para acalmá-los se a corrida não estiver indo bem”, disse Wolff ao GPblog sobre sua comunicação repentina com Russell em Montreal.

Wolff já viralizou anteriormente por outros áudios de rádio na Fórmula 1. Um exemplo marcante foi a transmissão da conversa entre ele e a FIA em Abu Dhabi (2021), quando questionou a decisão do então diretor de corridas da FIA, Michael Masi. Além disso, pelo menos até a confirmação da ida de Lewis Hamilton para a Ferrari em 2025, Wolff se comunicava por rádio com o heptacampeão, principalmente para pedir desculpas pelo desempenho aquém do esperado do carro da Mercedes.

“Eu sei o que se passa na cabeça deles. Acredito que meus conselhos possam ser úteis”, acrescentou Wolff, que ressalta seu bom relacionamento com Russell.

Por outro lado, nem todas as mensagens de rádio de Wolff encontram resposta. Após a bandeira quadriculada em Montreal, o chefe de equipe tentou motivar Lewis Hamilton: “Lewis, o positivo é que o carro voltou a ter bom desempenho. Vamos seguir em frente”. No entanto, o piloto britânico não respondeu à mensagem.