F1: Wolff afirma que Canadá foi exceção, mas luta por pódios continua

A Mercedes finalmente voltou a sorrir na Fórmula 1. O pódio conquistado no Canadá, somado à pole position, serviu de alento para a equipe alemã, que busca retomar o protagonismo na categoria. No entanto, o chefe do time, Toto Wolff pede cautela e diz que o GP da Espanha, em Barcelona, será um teste bem mais realista do progresso da equipe.

“Fizemos progressos incrementais nas últimas corridas”, disse Wolff. “Por isso, foi animador dar mais um passo positivo no Canadá. Ver isso se transformar em nosso melhor resultado em equipe até agora é uma recompensa para o trabalho duro de todos”, afirmou Wolff se referindo à pole e o P3 de George Russell e o P4 de Lewis Hamilton na corrida em Montreal.

Mas Wolff alerta a torcida da Mercedes: “O circuito Gilles Villeneuve é único. Ele tem uma variação estreita de velocidades de curvas, e com um asfalto recém-repavimentado, foi uma espécie de exceção em comparação com pistas mais tradicionais. Sabemos que nossos concorrentes terão um desempenho mais forte nas próximas corridas, então precisaremos continuar trabalhando duro para estarmos consistentemente na briga por pódios e, eventualmente, vitórias”, acrescentou.

De acordo com o chefe da Mercedes, o GP da Espanha servirá para avaliar com mais precisão a real situação da equipe. “Barcelona será um bom teste do nosso progresso. A pista tem uma mistura de curvas de alta, média e baixa velocidade, uma reta longa e muitas mudanças de altitude. Pistas com essa ampla variação de velocidade têm sido um ponto fraco nosso até agora. Esse próximo final de semana será, portanto, outra oportunidade para avaliarmos nosso progresso com as atualizações recentes, e esperamos construir sobre o impulso positivo de Montreal”, finalizou Wolff.