F1: Segundo Schumacher, Verstappen na Mercedes seria um risco para Russell

O ex-piloto de Fórmula 1 e atual comentarista, Ralf Schumacher, acredita que a permanência de George Russell na Mercedes possa estar comprometida, caso Max Verstappen deixe a Red Bull Racing.

Segundo Schumacher, a admiração já bastante conhecida de Toto Wolff, chefe da Mercedes, pelo holandês, poderia trazer problemas para Russell, que assumirá o posto principal da equipe britânica em 2025.

Considerando a muito provável ascensão de Andrea Kimi Antonelli, piloto júnior da Mercedes que deve subir da F2 na próxima temporada para ser companheiro de Russell, e já é visto como futuro da equipe, a contratação de Verstappen se tornaria ainda mais atrativa.

“Se Max Verstappen realmente decidir deixar a Red Bull, imagino que haverá um lugar para ele na Mercedes”, disse o alemão de 48 anos à Sky Sports alemã. “Nesse caso, poderia ser bem ruim para George Russell. Ele é, ou era, um super talento, mas também comete muitos erros. Se um campeão estiver disponível, imagino que a vaga de Russell também possa estar em perigo.”

Schumacher critica o que considera uma fragilidade de Russell, muitos erros. Para o alemão, Verstappen teria vencido o GP do Canadá se estivesse na Mercedes. Russell reconheceu seus equívocos em Montreal, onde terminou em terceiro, mas Schumacher acredita que a equipe, oito vezes campeã de construtores, precisará de um campeão para se recuperar após a saída de Lewis Hamilton para a Ferrari no próximo ano.

“A Mercedes teria vencido a corrida no Canadá com Max Verstappen, isso é claro. Max é o piloto que faz a grande diferença. A Mercedes enfrenta um período sem vitórias e precisa urgentemente de um campeão para voltar ao topo. Verstappen também é um cara que se mostra muito conservador, agradável e esportivo. Assim, eu imagino que Toto Wolff e a Mercedes fariam muito por ele”, completou Schumacher.