F1: Mercedes reconhece que pista de Montreal foi favorável para o bom desempenho

A Mercedes conquistou seu melhor resultado na temporada 2024 até agora, no GP do Canadá de Fórmula 1, com George Russell na pole position e no pódio em P3, seguido por Lewis Hamilton em P4. No entanto, a equipe minimizou a empolgação e acredita que o circuito de Montreal pode ter mascarado problemas do W15.

James Allison, diretor técnico da Mercedes, acredita que as atualizações recentes estão funcionando como esperado, mas afirmou que o circuito canadense pode ter beneficiado mais o carro do que outras pistas que estão no calendário.

“Esperávamos que a nova asa dianteira funcionasse bem”, disse Allison em um vídeo divulgado pela equipe. “Esperávamos que entregasse um pouco mais no Canadá do que em Mônaco, porque o circuito de Montreal, embora incomum, é mais um circuito normal do que Mônaco. E entregou, trouxe mais performance. Tornou o carro mais fácil de pilotar, bem equilibrado e fez do carro um amigo dos pilotos, em vez do algo que eles têm lutado contra, o que tem sido problemático na parte inicial da temporada para nós.”

Allison disse que o carro agora possui uma janela de operação mais ampla, algo que os pilotos haviam reclamado anteriormente.

“Eu acho que ampliamos essa janela substancialmente”, disse ele. “Acho que ainda há mais o que fazer, e teremos certeza quando formos para a próxima pista, que é Barcelona, porque lá há uma gama muito grande de condições de curva. É também uma pista muito mais quente e isso será um teste bem severo para o carro.”

Apesar de confiante nas melhorias, Allison destaca a necessidade de atualizações adicionais para manter o nível de desempenho visto no Canadá. “As mudanças que fizemos, definitivamente estão tornando este carro melhor, e isso será verdade em todos os circuitos que formos. As características de Montreal provavelmente fazem com que pareça um pouco mais rápido do que temos o direito natural de esperar nas próximas corridas. Acho mais provável que sejamos competitivos, mas não na liderança”, acrescentou.

“Com certeza as próximas pistas são um teste mais severo para o carro, com asfalto quente, velocidades de curva mais amplas e assim por diante. No entanto, também sei o que temos vindo por aí. Também sei o que estamos planejando para melhorar ainda mais o carro. Nosso desafio é apenas manter essas atualizações chegando em um ritmo que os outros não consigam acompanhar. E ao fazer isso, simplesmente empurrar nosso carro para a frente em virtude do esforço feito por todos aqui nas próximas semanas e meses, para que o carro possa ter esse desempenho de Montreal, ou até melhor, em qualquer pista que enfrentarmos no futuro”, completou Allison.