F1: Mercedes mostra evolução na corrida em Mônaco

A equipe Mercedes apresentou uma evolução mais visível neste final de semana do GP de Mônaco de Fórmula 1, e na corrida deste domingo, George Russell terminou a prova em P5 e Lewis Hamilton em P7.

Andrew Shovlin, diretor de engenharia de pista: “Optamos por uma estratégia alternativa, colocando ambos os carros com pneus duros. Havia prós e contras nisso. Uma bandeira vermelha ou intervenção do Safety Car após a parada dos quatro primeiros teria proporcionado uma oportunidade para colocar os dois carros no pódio. No entanto, uma bandeira vermelha na primeira volta seria estranha, mas foi exatamente isso que aconteceu no início da corrida. Estávamos, portanto, numa situação em que tínhamos que tentar chegar ao fim com pneus médios. A maioria dos carros estava fazendo um bom gerenciamento dos pneus, então isso foi relativamente fácil de manusear no final. George parecia ter um bom ritmo nos momentos finais e foi capaz de defender bem contra Max e foi encorajador ver as melhorias que fizemos no nosso longo prazo desde sexta-feira. A parada com Lewis no final não foi necessária do ponto de vista dos pneus, mas nos deu a oportunidade de somar um ponto extra pela volta mais rápida. No geral, o final de semana foi mais uma indicação de que estamos caminhando na direção certa. Dito isto, há algumas semanas nem podíamos falar em pódios. Teremos os dois carros com as atualizações mais recentes em Montreal com alguns detalhes adicionais. Continuaremos trabalhando duro e esperamos que melhores resultados não estejam longe”, concluiu.

Russell: “Essa foi nossa melhor corrida na temporada até agora. Tivemos um bom ritmo e conseguimos mostrá-lo perto do final, apesar de estarmos com pneus médios usados há 70 voltas. Estávamos nos aproximando dos quatro primeiros no final e terminamos apenas alguns segundos atrás do P1. Há muitos aspectos positivos do fim de semana como um todo. Passamos muito tempo esta manhã analisando todas as opções estratégicas. Quando alinhamos no grid e todos na frente estavam no composto médio de pneus, fiquei muito feliz. Isso parecia ainda melhor quando Carlos (Sainz) parou na primeira volta. A bandeira vermelha apareceu e tornou nossas vidas mais difíceis. Passei as primeiras trinta voltas com calma e no final consegui manter os pneus em bom lugar e chegar ao fim. Max (Verstappen) me colocou sob um pouco de pressão no final, mas tudo foi bastante controlado”, acrescentou.

Hamilton: “Houve muitos sinais encorajadores em nosso desempenho neste fim de semana. A equipe trabalhou muito para trazer atualizações para o carro e temos mais para descobrir nas próximas corridas. Demos um passo à frente com o carro, e se conseguirmos continuar a dar mais alguns, esperamos poder entrar na luta com as três equipas à nossa frente. A corrida de hoje não foi agitada. Todos estavam controlando seu ritmo após a bandeira vermelha e no final das contas, qualquer que fosse o pneu usado, você poderia chegar ao fim. Isso retirou as nossas opções de avançar, o que foi frustrante. Estou ansioso para ir ao Canadá e ver o que podemos fazer lá”, finalizou o heptacampeão.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ todas as atividades do GP de Mônaco com o jornalista Rodrigo França.