F1: Marko defende Mônaco, mas pede mudanças para melhorar corrida

O consultor da Red Bull, Helmut Marko, revelou que existem planos para melhorar o espetáculo no GP de Mônaco de Fórmula 1.

A corrida de domingo passado nas ruas de Monte Carlo recebeu muitas críticas pela falta de ação na pista, um tema recorrente ao longo da história do evento. A edição de 2024 viu a ordem dos dez primeiros colocados no grid se manter até a bandeira quadriculada, fato inédito na Fórmula 1.

Em meio a muitos pedidos por mudanças no evento em Mônaco, e até muita gente pedindo que não ocorra mais um GP no principado, Marko sugeriu que já existem planos em andamento para melhorar a corrida.

“Após a bandeira vermelha, o GP de Mônaco se tornou uma procissão, mas ainda é impossível imaginar a Fórmula 1 sem Mônaco, porque essa pista é para os circuitos o que a Ferrari é para as equipes de F1”, escreveu Marko em sua coluna para a Speedweek.

“Mas algo precisa ser feito. A coisa mais simples seria mudar a pista, e já existem planos e ideias para isso”, acrescentou.

Com o regulamento atual, os pilotos podem realizar sua parada obrigatória nos boxes durante uma bandeira vermelha. Como todos fizeram isso em Mônaco após um acidente na primeira volta envolvendo três carros, e por isso a estratégia teve pouco impacto no resultado final.

Marko sugeriu que a introdução de várias paradas obrigatórias durante a corrida, poderia ser uma opção para aumentar a incerteza sobre o resultado.

“Outra opção seria exigir duas paradas obrigatórias, por exemplo, ou exigir o uso dos três tipos de pneus, para que um pouco de estratégia entre em jogo”, disse ele.

“A mudança de regra em 2026 tornará os carros um pouco mais leves e menores, mas isso sozinho não resolverá o problema. Precisamos estipular o número de trocas de pneus ou ter um traçado que ofereça pelo menos uma chance realista de ultrapassagem”, encerrou o austríaco.

Vale lembrar que algumas decisões que foram tomadas em relação ao traçado de Mônaco ao longo do tempo, entraram em vigor com o objetivo de aumentar a segurança, principalmente com os carros bem mais frágeis utilizados pela F1 anteriormente, como a chicane após a saída do túnel.

No entanto, atualmente os carros da categoria são muito mais seguros, como demonstrou o RB20 de Sergio Perez após a forte batida na primeira volta no último domingo. Com isso, a remoção da referida chicane no final do túnel, por exemplo, já poderia criar um bom ponto de ultrapassagem no final da grande reta que seria criada.