F1: FIA aposta em briga mais equilibrada com regulamento de 2026

A FIA acredita que as novas regras da Fórmula 1 para 2026 vão provocar uma ‘redistribuição’ de forças no grid. Nikolas Tombazis, diretor de monopostos da organização, espera uma mudança na ordem dos times com a chegada de um novo pacote de regulamentos que envolve motor, chassi e aerodinâmica.

Tombazis acredita que a entrada em vigor da segunda geração de carros projetados sob o teto de gastos da F1, cria uma oportunidade para equipes menores e com desempenho inferior se aproximarem das líderes atuais.

Os detalhes do motor de 2026 já eram conhecidos há algum tempo, mas com a confirmação das regras do chassi, as equipes podem começar a focar em como abordar essas mudanças. O desenvolvimento aerodinâmico só poderá começar em 1º de janeiro de 2025, mas as equipes já estão livres para trabalhar no chassi. Isso dá a chance para algumas equipes surpreenderem e mudarem seus rumos no futuro.

No entanto, Tombazis alerta que as mudanças nas regras podem não significar um reset completo da hierarquia atual da F1. “Não elaboramos regulamentos pensando em uma ordem específica”, disse ele. “Nunca podemos prever quem vai acertar e quem vai errar.”

“Mas quando há grandes mudanças, e essas são grandes mudanças, esperamos uma reformulação. Não podemos prever a natureza dessa reformulação, mas é natural esperar por uma. Este é o segundo conjunto de regulamentos em que as equipes desenvolverão um carro sob o teto de gastos. E isso é uma chance para algumas equipes menores se recuperarem. As equipes maiores não podem simplesmente gastar irracionalmente em todas as direções possíveis. Todas as equipes precisarão priorizar e decidir onde colocar o esforço”, acrescentou.

Tombazis considera as novas regras uma ‘revolução moderada’ que, além de trazer uma diferença visual em relação aos carros atuais, ajudará a resolver alguns dos problemas que as mudanças de 2022 não conseguiram superar.

A era atual do efeito solo na F1 tinha como objetivo aproximar o pelotão e promover corridas mais disputadas. Embora tenha reduzido a diferença entre as equipes de maneira geral, também precipitou a temporada mais dominante da história da F1, com a Red Bull vencendo 21 das 22 corridas em 2023.

“Nós acreditamos que demos um passo em direção a corridas mais disputadas em 2022”, disse Tombazis. “Mas também houve coisas que erramos e estamos tentando acertar completamente agora. Acreditamos que as corridas serão muito mais emocionantes e bem mais equilibradas.”

Os regulamentos foram elaborados pela FIA em colaboração com a F1, com ampla consulta às equipes, processo que Tombazis confirmou ser extenso. “As equipes e os pilotos estiveram muito envolvidos nesse processo. Temos reuniões regulares com os representantes técnicos das equipes, mas também pedimos que as equipes façam simulações para nós, tanto na parte aerodinâmica quanto no simulador.”

“Tivemos pilotos pilotando versões do novo carro no simulador, para ver se certos aspectos dos carros são estáveis, entre outras coisas. Todas as contribuições e feedbacks que recebemos dos pilotos e equipes foram fundamentais na criação desses novos regulamentos”, completou Tombazis.