F1: Ex-pilotos criticam comissários após acidente no início do GP de Mônaco

A batida envolvendo Sergio Perez, Kevin Magnussen e Nico Hulkenberg no GP de Mônaco de Fórmula 1, gerou muita polêmica. Apesar da aparente culpa de Magnussen, os comissários consideraram a colisão como ‘incidente de corrida’, o que não resultou em penalizações. Essa decisão causou estranhamento entre várias pessoas no paddock da F1, como os ex-pilotos Christian Klien e David Coulthard.

Depois da primeira curva, Perez, Magnussen e Hulkenberg subiram a ladeira em direção ao cassino emparelhados. Sem espaço suficiente, o resultado foi o toque e a consequente quebra dos três carros, com os três abandonando a prova. À primeira vista, Magnussen parecia ser o principal responsável pelo acidente, mas os comissários discordaram.

“Eles não fizeram o seu trabalho direito”, criticou Klien duramente na ServusTV: “Se você conhece a pista, sabe que não pode fazer certas manobras em determinados momentos. Ainda mais no início da corrida, quando nem sequer está brigando por pontos, e pior ainda, deixando também o companheiro de equipe fora do GP. No geral, Magnussen foi simplesmente agressivo demais nessa situação e eu acho que deveria ter sido punido.”

Coulthard compartilhou da mesma opinião: “Os comissários consideraram como incidente de corrida, mas o acidente aconteceu porque Magnussen colocou o carro na frente e era praticamente impossível ultrapassar Perez ali em uma subida íngreme e sem reta”, analisou o comentarista do Channel 4. “Se isso tivesse acontecido em qualquer outra volta do GP, acho que Magnussen estaria olhando para umas férias forçadas da Fórmula 1”, acrescentou.

Magnussen atualmente tem dez pontos de penalidade em sua auperlicença. Ao atingir doze pontos, o piloto dinamarquês sofrerá suspensão de uma corrida. Como a punição habitual para o causador principal de um acidente é de dois pontos, pode-se dizer que Magnussen teve bastante sorte dessa vez.