F1: Zanzibar surge como candidato potencial para GP na África

A busca por um Grande Prêmio de Fórmula 1 no continente africano pode estar se aproximando de uma solução com o emergente projeto de um circuito em Zanzibar, um arquipélago ao largo da costa africana. Tanto a Liberty Media quanto a FIA reconhecem a necessidade de uma corrida na África, um continente notavelmente ausente no calendário da F1 atual.

Embora no ano passado tenha havido avanços significativos para reviver o Grande Prêmio da África do Sul em Kyalami, as negociações falharam nos estágios finais. No entanto, o presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, destacou recentemente a importância de focar mais atenção na África.

Agora, a atenção se volta para Zanzibar, onde um projeto de circuito está em desenvolvimento, contando com a experiência técnica do ex-piloto de F1 Giancarlo Fisichella. Em setembro de 2022, o projeto recebeu luz verde de um órgão governamental da ilha africana, e, em novembro, os investidores do projeto receberam a posse da terra destinada à construção do circuito.

Apesar do entusiasmo inicial, a construção de um circuito apto a sediar um Grande Prêmio de Fórmula 1 é uma tarefa complexa. A previsão é que a primeira pedra seja colocada apenas em 2025, com a inauguração da primeira parte do circuito prevista para 2027. Consequentemente, a obtenção das certificações necessárias pela FIA para acolher um GP de Fórmula 1 pode não acontecer antes do final da década.

Este desenvolvimento representa um passo significativo para a inclusão da África no esporte automobilístico global e reflete o esforço contínuo para expandir a presença da Fórmula 1 em novos mercados e regiões, promovendo uma maior diversidade geográfica no esporte.