F1: Briga interna pode atrapalhar ainda mais a Alpine

Pierre Gasly e Esteban Ocon, companheiros de equipe na Alpine, parecem não conseguir correr um ao lado do outro sem causar problemas. Após mais uma disputa roda a roda no GP da Áustria de Fórmula 1, Gasly desabafou: “Não posso controlar esse cara.”

O momento de calmaria na Áustria, antes da forte disputa entre Max Verstappen e Lando Norris, que resultou em confusão e polêmica, foi agitado por outra batalha problemática entre os pilotos da Alpine. Depois de ultrapassar Fernando Alonso da Aston Martin, Gasly e Ocon trocaram de posição diversas vezes com manobras agressivas. Gasly levou a melhor ao ultrapassar Ocon por fora na curva 4 e garantiu o 10º lugar.

Apesar de classificar ambos os carros para o Q3, a Alpine poderia ter evitado a briga interna para tentar pontuar com os dois pilotos. Gasly, no entanto, conseguiu ao menos colocar um carro franco-britânico entre os dez primeiros, enquanto Ocon ficou apenas com o P12.

O francês questionou as ‘regras de engajamento’ da Alpine após a corrida, e considerou se a batalha custou à equipe a chance de um resultado ainda melhor.

“Vamos analisar isso”, disse Gasly à imprensa quando questionado sobre a briga interna ter prejudicado a Alpine na briga por pontos. “Acho que as instruções da equipe foram bem claras antes da corrida, mas eu só posso controlar o que acontece no meu carro, não posso controlar esse cara. É algo que vamos ter que discutir entre nós, mas já discutimos isso e vamos ver se há mais alguma coisa que possamos fazer”, acrescentou.

Gasly e Ocon não serão companheiros de equipe por muito mais tempo, já que Ocon vai deixar a Alpine após o final da atual temporada e Gasly já renovou seu contrato coma a equipe francesa. O histórico da dupla, porém, é repleto de incidentes.

A regra número um de não bater no companheiro de equipe foi quebrada logo em 2023, quando Gasly e Ocon se chocaram após a relargada na Austrália.

Este ano, outro grande problema surgiu na volta inicial de Mônaco, quando Ocon atingiu Gasly em uma tentativa de ultrapassagem, descumprindo as supostas ordens da equipe para manter a posição. O chefe de equipe, Bruno Famin, chegou a ameaçar puni-lo.

O francês correu em Montreal, mas ficou irritado por ter que ceder a posição para Gasly no final da prova no Canadá.

A atual dupla da Alpine parece incapaz de correr de forma limpa entre eles e a separação ao final da temporada talvez seja o melhor para ambos os lados. O substituto de Gasly para 2025 ainda não foi definido. Há rumores de que a equipe de Enstone esteja interessada em Carlos Sainz, mas Jack Doohan, piloto da Academia Alpine, também é cotado para a vaga.