Cardoso domina o dia, mas Digo Baptista herda a pole position do TCR Brasil em Mogi Guaçu

O mais rápido do dia, mas com aquele gostinho amargo. Foi assim a classificação para Pedro Cardoso, que dominou as atividades de pista neste sábado em Mogi Guaçu. O piloto da PMO Racing foi o mais rápido na classificação do TCR Brasil no Autódromo Velocitta, em Mogi Guaçu, interior de São Paulo, mas perdeu a posição por causa de uma punição da prova passada, em Cascavel. Com isso, Digo Baptista, da Squadra Martino, sai na pole.

Com o resultado, Digo Baptista empatou com Raphael Reis no campeonato. Ambos têm agora 134 pontos, com Pedro Cardoso em terceiro, com 130. Matías Rossi, do Toyota Team Argentina, larga em segundo, com o brasileiro Galid Osman, da W2 ProGP, em terceiro. O brasiliense Raphael Reis é o quarto, com Pedro Cardoso completando o Top 5 do grid de largada da primeira corrida do domingo.

Na classe Trophy, Marcos Regadas foi o melhor mais uma vez na classificação, com a nona posição do grid. Ele vai largar na pole da corrida 2 com o carro da PMO Racing.

Neste domingo, a etapa do Velocitta do TCR Brasil terá suas duas corridas disputadas pela manhã. A primeira prova tem duração de 25 minutos + 1 volta e a segunda, 30 minutos + 1 volta.

Q1 – Muito calor e Pedro Cardoso na frente

O Q1 começou com temperatura de 27°C ambiente e 40° na pista. Logo que o cronômetro foi disparado, os carros foram à pista, mas por pouco tempo. A 15:40 do fim dos 20 minutos regulamentares na primeira parte, Fabian Yannantuoni teve problemas no Toyota Corolla #5 da Paladini Racing e parou logo após a Curva da Mata, provocando uma bandeira vermelha.

Após quatro minutos de interrupção, as atividades de pista voltaram. Logo de cara, Matías Rossi já assumiu a ponta do Q1, apenas 18 milésimos à frente de Suzuki, que foi à pista e conseguiu um ótimo tempo.

Na metade do Q1, nove pilotos estavam dentro do mesmo segundo. Além disso, os cinco primeiros eram separados por apenas 0.205s, com o top 3 de três montadoras diferentes e com apenas 51 milésimos entre eles.

A cinco minutos do fim, Pedro Cardoso assumiu a ponta com 1MIN33S845, 0.437s à frente de Rossi. Raphael Reis ainda melhorou seu tempo, pulando para a segunda posição, jogando o argentino para terceiro. Suzuki ficou em quarto, seguido por Galid Osman. Marcos Regadas foi o melhor da Trophy, com a nona posição.

Q2 – Domínio de Pedro Cardoso

Assim que o cronômetro disparado, todos os carros tentaram sair à pista. Apenas Galid Osman teve problemas e ficou parado nos boxes, mas conseguiu resolver o problema e tentar marcar seu tempo. Pedro Cardoso começou na frente, com 1:33.785, seguido por Matías Rossi, mais de meio segundo atrás.

De volta à pista, Galid Osman pulou para a quarta posição em sua primeira tentativa. Já Reis, que não marcou tempo em sua primeira saída, foi aos boxes para ajustes, voltou à pista e apostou em uma tentativa tardia, pulando para o sexto lugar.

Com o cronômetro zerado, Digo Baptista pulou para segundo, atrás de Pedro Cardoso. Matías Rossi e Galid Osman vieram a seguir. Na Trophy, Marcos Regadas foi o melhor, em décimo, e vai largar na primeira posição da segunda corrida, que tem a inversão dos 10 primeiros do quali.