F1: GP de Las Vegas pode ser atrapalhado por greve dos funcionários de hotéis

Os trabalhadores do ramo de hotelaria em Las Vegas ameaçam entrar em greve, se o sindicato não conseguir chegar a um acordo com os cassinos, restaurantes e hotéis da cidade. A greve entraria em vigor na próxima sexta-feira, segundo informou o Motorsport.com. Uma semana depois, o circo da Fórmula 1 chega a Las Vegas.

De acordo com o Sindicato dos Culinários e Bartenders, 35 mil pessoas poderão entrar em greve. Ainda depende se o sindicato conseguirá fechar um acordo com MGM Resorts, Caesars Entertainment e Wynn Resorts. Essa chance é pequena, já que as partes estão em negociações sobre um novo contrato há mais de sete meses. Os funcionários trabalham com contratos expirados desde meados de setembro. O sindicato ainda não está satisfeito com a oferta apresentada.

“A proposta atual sobre a mesa é histórica, mas não é suficiente e os trabalhadores merecem ter seus contratos renovados, especialmente depois de estas corporações gigantes desfrutarem dos seus lucros recordes”, disse Ted Pappageorge, secretário-tesoureiro do sindicato, à NPR.

Essa possível greve teria pouco impacto no evento da F1 em si, mas afetaria principalmente os visitantes da corrida. O sindicato apela aos turistas para que não visitem hotéis e cassinos quando ocorrer a greve. O Wynn Resorts acrescentou: “Guardaremos nossos comentários sobre as negociações para a mesa de negociações.” Ainda não houve nenhim comentário da Fórmula 1.

Antes mesmo de todo o espetáculo começar, o GP de Las Vegas já está sob o microscópio. A corrida tem sido questionada por moradores da cidade. Eles reclamam da interrupção do trânsito devido às obras e das barreiras visuais nas passarelas de pedestres que tiraram a visão dos moradores de Las Vegas. As árvores próximas ao Belaggio também foram removidas e os engarrafamentos são comuns atualmente.