F1: Gasly ainda quer conversar com Marko sobre sua saída da Red Bull

Pierre Gasly manifestou o desejo de um dia sentar-se com Helmut Marko e discutir por que foi rebaixado da Red Bull, já que o francês ainda sente que foi injustiçado.

Gasly foi talvez um dos maiores exemplos da máquina Red Bull em relação aos jovens pilotos. Sua passagem pela equipe durou apenas 12 corridas, e também foi um grande destaque na temporada inicial de ‘Drive to Survive’, levando uma nova audiência da Fórmula 1 a testemunhar Gasly sendo rebaixado para a Toro Rosso (atual AlphaTauri).

Entretanto, o francês se recuperou desde então, apresentando boas performances com a AlphaTauri antes de se transferir para a Alpine nesta temporada.

Perguntado se já havia conversado com Marko desde então, Gasly respondeu ao podcast ‘Beyond the Grid’: “Não. Espero que um dia tenhamos a chance, mas eu sei que, no fundo, eles são pessoas inteligentes.”

“Eles podem ter suas próprias opiniões sobre certas coisas, mas existem coisas claras que eram óbvias. Foi assim que aconteceu. Não foi realmente justo, mas de qualquer forma, foi assim. Aprendi também que o esporte nem sempre é justo”, disse Gasly.

“Realmente fechei esse capítulo quando saí da AlphaTauri e abri uma nova história com a Alpine. Acredito que atingi um nível de experiência, habilidades e consciência agora, que graças às minhas experiências anteriores, me permitem ser melhor hoje do que ontem”, acrescentou.

A ‘queda’ de Gasly ocorreu poucas semanas antes da morte de seu amigo próximo Anthoine Hubert, em um acidente na Fórmula 2 em Spa, tornando um momento incrivelmente difícil tanto profissional quanto pessoalmente para Gasly. Perguntado sobre como cresceu após a morte de seu amigo, Gasly disse que passou a apreciar mais a vida.

“Foi um choque”, lembrou Gasly. “Infelizmente, não foi o primeiro amigo muito próximo que perdi. Foi super, super difícil superar isso. Mas seguindo o que aconteceu em Spa, acho que também mudou minha visão de abordar a vida em geral e meu relacionamento com as pessoas importantes para mim. Apreciando cada segundo que você passa com essas pessoas próximas. Porque você nunca sabe quando será a última vez”, encerrou o piloto francês.