F1: Norris revela desafios no início da temporada de 2023

Lando Norris admitiu que não estava totalmente “no espaço certo” no início da temporada de 2023 da Fórmula 1, enquanto lutava para se adaptar à realidade dos problemas iniciais da McLaren.

A equipe de Woking começou a temporada já ciente de que estaria em desvantagem, tendo admitido que mudou o foco de desenvolvimento do seu carro MCL60 no final do inverno.

Como resultado, a McLaren teve o pior início de temporada desde 2000, com Norris e seu companheiro de equipe Oscar Piastri não pontuando nas primeiras duas corridas.

No entanto, a introdução de um pacote substancial de melhorias a partir do Grande Prêmio da Áustria em julho transformou a sorte da McLaren, levando Norris a conquistar sete pódios, o melhor desempenho de sua carreira, ajudando a equipe a terminar em quarto lugar na classificação.

Embora ainda espere por sua primeira vitória, Norris ficou satisfeito com a forma como maximizou o ritmo renovado da McLaren, produzindo sua melhor temporada na F1 até agora.

“Em qualquer momento que estivemos perto de conseguir uma vitória ou penso nas últimas seis ou sete corridas, eu tive seis segundos lugares, todos eles atrás de Max [Verstappen], sem outros pilotos”, refletiu ele.

“Então, sempre que alguma coisa podia dar errado nessas vezes, estávamos em uma posição perfeita. Acho que o Brasil foi uma das minhas melhores corridas. Olho para isso, não estava acontecendo muita coisa, mas em termos de distância para todos os outros [26s à frente do terceiro], com apenas um carro à frente, acho que foi uma corrida muito boa. México [17º para quinto] foi uma corrida muito boa também.

“Passei a primeira parte da temporada talvez não no espaço certo, trabalhando bastante para ainda me adaptar a este carro, pois não é um carro fácil. E ainda há coisas todos os finais de semana com as quais eu luto, mas passei a primeira parte da temporada talvez não no espaço certo.”

Apesar da incrível reviravolta da McLaren na metade da temporada, Norris reitera que teve que se afastar de seu estilo de pilotagem natural para extrair resultados expressivos do MCL60 atualizado.

“Ainda assim, a maneira como eu quero pilotar rapidamente é o oposto de como este carro quer ser pilotado”, continuou o britânico.

“E ainda meu instinto natural de sair e pilotar na classificação da melhor maneira que eu gostaria não é como nosso carro precisa ser pilotado. Então, ainda tive que mudar um pouco como eu piloto o carro.

“E isso ainda aconteceu este ano, mas desde, eu diria, o meio da temporada, me senti mais confiante. Sinto que estive tirando o máximo do carro, especialmente do ponto de vista de corrida.”

Norris está convencido de que a McLaren pode fornecer o carro mais adaptável que ele procura, tendo agora comprovado que é capaz de fazer o progresso necessário para se tornar novamente um concorrente credível na ponta.

“Cometi alguns erros a mais na classificação, o que acho que é um pouco óbvio, e eu reconheci”, observou o piloto de 24 anos.

“Mas definitivamente acho que tive algumas das melhores corridas que já fiz, então isso ajuda quando você tem um bom carro para acompanhá-lo.

“Como eu disse muitas vezes antes, acredito que a McLaren pode virar as coisas.

“Este foi o ano de que precisávamos e a equipe precisava provar essas coisas, o que foi perfeito.”