F1: Montezemolo evita falar sobre acidente de Schumacher

A data de hoje marca dez anos desde o trágico acidente de esqui de Michael Schumacher em Méribel, França, que deixou o heptacampeão de Fórmula 1 gravemente ferido. Considerado por muitos como o maior piloto da categoria de todos os tempos, Schumacher ainda causa emoção ao ser lembrado, principalmente quando se trata do dia que mudou sua vida.

Em entrevista ao La Gazzetta dello Sport, o italiano Luca di Montezemolo, ex-presidente da Ferrari, relembrou o fatídico dia: “Estava no escritório em Maranello quando recebi a notícia por Stefano Lai, chefe de comunicação na época. Não tínhamos a dimensão do ocorrido e imaginávamos que ele poderia ter quebrado duas pernas.”

A realidade era muito mais grave. Schumacher sofreu sérias lesões na cabeça e foi imediatamente colocado em coma induzido pelos médicos. Levou seis meses para o piloto sair daquele estado, mas mesmo após uma década, seu quadro de saúde ainda é desconhecido.

Montezemolo também recorda o momento em que percebeu a gravidade da situação: “Passados alguns minutos, a notícia se tornou mais clara e a preocupação começou. Olha, quanto menos eu falar sobre isso, melhor para mim, porque foi um dia terrível.”

O ex-presidente da Ferrari evita entrar em detalhes sobre o acidente e demonstra profundo respeito pela privacidade de Schumacher e sua família. Ao mesmo tempo, sua fala revela a dor e a tristeza que permanecem vivas, mesmo dez anos depois do ocorrido, um sentimento compartilhado por todos os fãs do lendário piloto e do esporte a motor.

A memória de Michael Schumacher, apesar da tragédia, continua a inspirar pilotos e fãs ao redor do mundo. Seu legado de determinação, talento e paixão pelo automobilismo permanece intacto, um marco indelével na história da Fórmula 1.