F1: Mercedes terá mais atualizações para manter a boa fase

A Mercedes vai buscar consolidar seu progresso recente com novas atualizações no W15 para as próximas duas corridas.

Lewis Hamilton e George Russell conquistaram uma vitória cada nas últimas etapas, além de dominarem o grid de largada em Silverstone. A equipe alemã enfrentou dificuldades desde a implementação do novo regulamento técnico em 2022. O chefe da equipe Toto Wolff, explicou que o progresso começou quando finalmente entenderam o comportamento do carro.

“De repente, tudo o que não fazia sentido começou a fazer”, disse ele. “Houve um momento em que, liderados por James Allison (diretor técnico), de repente os dados fizeram sentido. A maneira como equilibramos o carro e como trouxemos os desenvolvimentos, essa foi a principal coisa. Não foi uma asa dianteira milagrosa, é mais o equilíbrio que alcançamos.”

Tendo encontrado um caminho produtivo para o desenvolvimento do carro, a Mercedes terá mais atualizações para extrair ainda mais performance nas próximas corridas da Fórmula 1.

“Estamos encontrando desempenho, colocando isso no carro e se traduzindo em tempo de volta”, disse Wolff. “Isso não acontecia nos últimos dois anos.”

“Ainda há mais por vir em termos de performance. Estamos trazendo atualizações para Budapeste e Spa. Mas por outro lado, não podemos nos empolgar”, disse Wolff, que admitiu que apesar da vitória na Áustria, a Mercedes não esperava ser tão competitiva em Silverstone.

“No fim de semana passado não estávamos muito longe”, disse ele. “Quando você olha para a diferença que eles tinham antes da batida (entre Max Verstappen e Lando Norris), era quase dois décimos por volta, um pouco mais, e esse é o mais perto que chegamos há muito tempo, em uma pista que não gostávamos tanto no passado. Isso nos deu indícios de que as coisas estariam melhorando. Honestamente, não achávamos que seria em Silverstone porque mal colocamos atualizações no carro. Estávamos esperando mais por Budapeste e Spa.”

Enquanto a pista estava seca, Russell e Hamilton lideraram confortavelmente, mas seus rivais conseguiram diminuir a diferença com a chegada da chuva. No final da corrida, quando a pista secou novamente, Hamilton conseguiu se manter à frente de Verstappen para vencer, enquanto Russell foi obrigado a abandonar com problemas técnicos no carro.

Isso aconteceu mesmo com a Mercedes optando pelos pneus macios, que Wolff acredita ter sido a opção menos competitiva naquele momento. “Tínhamos o médio. Para nós era simples, não acreditávamos que o duro fosse o pneu certo. Em retrospectiva, provavelmente a ordem de prioridade certa seria médio, duro, macio, mas acho que a degradação dos nossos pneus foi boa em comparação com a McLaren e isso garantiu a vitória”, finalizou o chefe da Mercedes.