F1: Hulkenberg aponta para o fraco desenvolvimento do VF-23

Nico Hulkenberg afirmou que a Haas está limitada por seu relacionamento próximo com a Ferrari, mas diz que isso não é desculpa para o fraco desenvolvimento do carro da equipe durante a temporada 2023 da Fórmula 1.

Tendo iniciado o último ciclo de regulamentação a partir de uma base encorajadora em 2022, o desempenho da Haas despencou no segundo ano de utilização dos mais recentes carros de F1 com efeito solo.

A equipe americana caiu para a última posição no Campeonato de Construtores com apenas doze pontos marcados, depois de somar apenas um ponto nas últimas 13 etapas do ano. Apesar da introdução de um carro de especificação B radicalmente atualizado no mês passado, que o converteu para a solução downwash sidepod, as dificuldades da equipe continuaram nas etapas finais.

Hulkenberg, que continuará sendo parceiro de Kevin Magnussen na Haas em 2024, afirmou que a equipe deve apresentar um caminho de desenvolvimento mais forte para manter sua competitividade inicial no próximo ano.

Refletindo sobre a temporada antes da etapa final em Abu Dhabi no final de semana passado, Hulkenberg disse: “Quero dizer, não posso vender isso como um sucesso, sendo 10º no momento. Acho que obviamente o desenvolvimento, ou a falta de desenvolvimento, é uma decepção, não é ótimo, não é bom o suficiente, francamente, temos que resolver isso e fazer um trabalho melhor no próximo ano.”

“Começamos em uma posição decente, mas depois simplesmente não encontramos desempenho, não melhoramos o carro, outros melhoraram substancialmente e ficamos para trás. Desse ponto de vista, não é ótimo. Pessoalmente, gostei deste ano depois de um tempo fora e ainda gosto, e na verdade estou ansioso para o próximo ano com, esperançosamente, com um pacote mais competitivo”, acrescentou.

Hulkenberg optou por reverter para a especificação mais antiga do VF-23 para completar as duas últimas etapas deste ano, explicando sua visão, de que a versão mais antiga ‘possui mais downforce em curvas de alta velocidade’.

Depois de acrescentar que acreditava que o pacote anterior fornecia o melhor carro, Hulkenberg destacou que devem ser realizadas conversas para resolver as deficiências da Haas. “Acho que, internamente, com Gunther (Steiner, chefe da equipe), as demais pessoas, e a administração aqui, precisamos fazer algumas perguntas sérias, olhar para as áreas, o pessoal técnico, que tem a responsabilidade de tornar o carro mais rápido, o que está acontecendo, precisamos mudar alguma coisa, a estrutura, o pessoal, o que for”, disse ele.

“Mas precisamos fazer essas perguntas, analisar isso e talvez até mudar, tudo isso vai acontecer agora, nas próximas semanas, eu acho”, encerrou o experiente piloto alemão.