F1: Domenicali acredita em disputa mais acirrada em 2024

Stefano Domenicali, CEO da Fórmula 1, expressou sua expectativa de que os rivais da Red Bull reduzam a vantagem do atual campeão em ritmo de corrida na próxima temporada.

A Red Bull desfrutou de um domínio sem precedentes ao longo do último ano, vencendo todas as corridas, exceto uma (o GP de Singapura, que foi vencido por Carlos Sainz da Ferari), e garantindo o Campeonato de Construtores (e de pilotos com Max Verstappen) com várias etapas de antecedência.

Mesmo com a supremacia implacável da Red Bull em condições de corrida, a equipe foi superada na pole position em oito ocasiões, incluindo três das últimas cinco etapas.

O início da sessão de classificação em Abu Dhabi viu todo o grid separado por menos de um segundo, alimentando a esperança de Domenicali de que o pelotão também se aproximará durante as corridas.

“Você vê no sábado na classificação, 20 carros em menos de um segundo”, disse Domenicali. “Então, na classificação, estamos muito, muito próximos. Claro, o ritmo de corrida é diferente, e acho que isso será o principal que veremos diferente no próximo ano.”

Domenicali apontou o progresso da McLaren como evidência dos ganhos que podem ser alcançados. A equipe de Woking começou o ano com dificuldades até mesmo para pontuar, mas uma atualização significativa durante a temporada, transformou a equipe em participante regular no pódio.

“Aos que diziam que com o teto orçamentário você não pode desenvolver o carro, eu diria que a McLaren provou que isso não é verdade”, acrescentou Domenicali.

Questionado se acredita que a disputa na ponta será mais acirrada na próxima temporada, Domenicali respondeu: “Acredito que sim. Mesmo que, como sempre, eu seja alguém que não gosta de falar, porque sempre há muitas pessoas que falam e depois são contraditas. Mas tenho certeza de que esse é o objetivo de todas as equipes, mostrar o nível de sua engenharia, a capacidade de evoluir.”

Domenicali também negou que a esmagadora supremacia da Red Bull na última era de regulamentação de efeito solo, tenha prejudicado o crescimento contínuo da popularidade da categoria.

“A consciência da F1 e o crescimento de nosso esporte são realmente mágicos”, destacou o italiano. “Nosso foco é garantir que as pessoas que são fãs ávidos como nós, possam realmente acreditar na categoria, mas também pessoas que realmente não são fãs ávidos, mas amam o que estamos construindo, possam se conectar conosco. E então, é nosso dever desenvolver a cultura da F1. Este é realmente o belo desafio que temos”, finalizou Domenicali.