F1: Arnoux aponta estabilidade do RB19 como chave do domínio em 2023

Max Verstappen e o RB19 dominaram a Fórmula 1 em 2023 de forma avassaladora. O holandês conquistou um recorde de 19 vitórias em 22 corridas, e a superioridade da equipe não passou despercebida por quem viveu as glórias do grid nas décadas passadas. O ex-piloto René Arnoux, vencedor de sete GPs na F1, apontou em entrevista à La Gazzetta dello Sport, um fator crucial para o desempenho de Verstappen: a estabilidade do RB19.

Ao analisar imagens onboard, Arnoux observa que Verstappen ‘desenha a curva’, traçando uma linha limpa e precisa, enquanto seus rivais precisam fazer constantes micro-correções no volante. “Max é um piloto fabuloso, mas basta olhar as imagens on-board. Ele freia, vira, mantém o volante firme e desenha a curva. Os outros pilotos têm que corrigir o tempo todo”, afirmou Arnoux.

Essa vantagem não se resume apenas a habilidade do piloto. O francês aponta diretamente para o RB19 como um fator determinante, destacando suas diferenças em relação à Ferrari, sua antiga equipe.

“Podemos dizer com certeza que Charles Leclerc ficou muito insatisfeito este ano”, disse o francês. “Mas suas performances foram consistentemente boas, ao contrário de Carlos Sainz. Sainz teve um desempenho fantástico em Singapura (onde venceu), mas na maioria das corridas, não atingiu as expectativas.”

Apesar de enaltecer Leclerc como um dos melhores do mundo, Arnoux reforça a ideia de que o RB19 era um carro imbatível. “Para mim, Leclerc está no grupo de Verstappen, na elite da F1”, continuou. “Max pode ter um pouco mais de agressividade, mas com um carro como aquele, é mais fácil para ele mostrar performance em alto nível. A Ferrari literalmente comia os pneus. Depois de cinco voltas, Max já estava relaxando”, acrescentou Arnoux.

Com Mercedes e Ferrari prometendo carros completamente revisados para 2024, a expectativa é de uma disputa mais equilibrada no próximo ano. Mas Arnoux alerta que, se a Red Bull repetir o desempenho do RB19, será mais um ano difícil para os rivais. “Se a Red Bull construir um carro tão bom para 2024, será outro ano duro para os adversários de Verstappen”, encerrou o ex-piloto.