F1: Alonso lamenta má classificação do GP dos Estados Unidos: “Foi o máximo”

Fernando Alonso mostrou grande decepção após o primeiro dia de atividades do GP dos Estados Unidos da F1. Após a classificação deste sábado (20), o espanhol reconheceu que não havia muito a ser feito e que as coisas começaram erradas ainda no início do dia.

A Aston Martin não tem andado bem desde o treino livre único no Circuito das Américas. Então, na tomada de tempos, o espanhol conseguiu apenas a 17ª colocação, primeira vez na temporada em que não consegue avançar para a fase seguinte.

“Foi o máximo. Acho que sim, a volta não foi ideal, principalmente a volta externa, o trânsito estava muito ruim. Acho que cruzei a linha um segundo antes do limite, então comecei a volta muito perto dos carros da frente, então isso não ajudou. Mas a volta pareceu boa. O ritmo talvez não parecesse bom o suficiente para estar no Q2. Vamos ver amanhã se conseguimos fazer um bom sprint, porque a corrida de domingo está bastante comprometida agora”, falou.

“Devíamos voltar e repetir o dia completamente, começando pela manhã. Tivemos uma sessão terrível [TL1], Lance não completou nenhuma volta, fiz apenas seis ou sete voltas de qualidade com um novo pacote. Muitas incógnitas em termos de como operar o pacote no novo carro”, emendou.

“Então, sim, acho que ficamos um pouco cegos na classificação e vimos os resultados. Então, não há nada que possamos fazer agora, estamos no parque fechado, usamos este fim de semana como um teste para o próximo ano também, mesmo que sejam dolorosos. Então, vamos ver o que podemos aprender nas sessões restantes”, completou.