Mundial de Rotax: João Gonçalves é o primeiro brasileiro a ser campeão mundial com kart elétrico

O brasileiro João Gonçalves levou o País ao inédito título mundial de kart elétrico com motores Rotax. O piloto foi campeão no Circuito Internacional do Sakhir, no Bahrein, após dominar praticamente todas as atividades da competição. Gonçalves comemorou muito a conquista em sua primeira participação no Rotax RMC Grand Finals.

“Foi minha primeira participação no Mundial de Rotax. Esse foi meu primeiro ano de contato com a Rotax, com duas etapas no Kartódromo Granja Viana e o Sul-Americano, onde fui campeão e consegui a vaga no Mundial para correr de kart elétrico. Me surpreendi muito com o evento, que é grandioso, muito bonito e organizado”, diz Gonçalves.

Binho Carcasci, presidente da Bora Karting, empresa representante da Rotax no Brasil, parabenizou o título de Gonçalves. “Estamos muito felizes por essa conquista do João Gonçalves, mostrando a força do kart brasileiro. É um piloto que está conosco nas competições Rotax no Brasil e merece muito esse título”, diz Carcasci.

O Mundial de Rotax contou com a participação de quase 400 pilotos divididos em várias categorias e oito brasileiros representaram o País, entre eles Rubens Barrichello na Rotax Max DD2 Masters. Gonçalves, que já havia sido campeão mundial fora dos karts elétricos, detalhou a caminhada para o título no Bahrein.

“O campeonato foi sensacional, liderando praticamente todos os treinos. Fiz a pole position, ganhei as duas baterias, a pré-final e a final, que foi mais apertada. Caí para terceiro na largada, mas consegui recuperar as duas posições de uma vez só aproveitando uma disputa dos dois líderes. Abri uma vantagem confortável e, na última volta, usei o push to pass para defender nas últimas curvas, quando um adversário chegou mais perto, mas sem ação de tentar a ultrapassagem. Concluímos bem a semana do campeonato e conquistei esse título”, explica Gonçalves.

Por fim, João ainda destacou o trabalho feito no Brasil como preparação para o Mundial. “Quero agradecer ao Marcinho, da MR Competições, da Granja Viana, que me ajudou demais. Agradeço também o João Barbosa, que me deu a oportunidade de correr de kart após 11 anos afastado. Com isso, fiz as etapas no KGV, corri o Sul-Americano e consegui a vaga no Mundial, completou o piloto.