F1: Wolff aponta melhor corrida da Mercedes em 2023

A chegada de Lewis Hamilton ao P2 no GP dos EUA de Fórmula 1, mesmo tendo sido desclassificado após o final da corrida, foi um destaque particular no ano para o chefe da Mercedes, Toto Wolff. A Mercedes pode ter perdido o pódio devido a essa desqualificação em Austin, mas representou a melhor corrida do ano para a equipe, segundo Wolff.

Hamilton terminou em segundo lugar no Circuito das Américas, tendo conseguido manter-se a uma curta distância de Max Verstappen da Red Bull durante todo o GP dos EUA. Mas horas depois da bandeira quadriculada e do pódio, Hamilton, juntamente com Charles Leclerc, da Ferrari, foi desclassificado devido ao desgaste excessivo do assoalho de seu carro.

Refletindo sobre a temporada 2023 em um vídeo especial para os canais de mídia social da Mercedes, o chefe da equipe, Wolff, escolheu o fim de semana de Austin como o melhor desempenho no ano, ressaltando que a desqualificação do britânico teve impacto mínimo no desempenho geral do W14.

“Isso pode parecer estranho porque fomos desclassificados, mas Austin!” ele respondeu quando questionado sobre a melhor corrida do ano para a Mercedes.

“Levamoss um pacote de atualização que funcionou, o carro estava funcionando bem e estávamos caçando o líder. Você poderia dizer: ‘Bem, você foi desclassificado por causa de um carro que estava muito baixo’, mas o desempenho genuíno estava lá e foi um fim de semana agradável. Sempre disse que prefiro um carro rápido, mesmo que não tenhamos ajustado da maneira certa. Mas esse foi o melhor final de semana no geral, visto que a correlação entre o túnel de vento e a pista foi boa”, acrescentou.

Embora muito atrás da equipe Red Bull, naquela que foi uma temporada sem vitórias para a Mercedes pela primeira vez desde 2011, Wolff disse que pode se orgulhar do fato de sua equipe ter se reunido tão bem para garantir o segundo lugar após a decepção de 2022.

“Foi difícil porque houve muitos momentos em que tínhamos grandes expectativas e as coisas não correram como esperávamos”, disse ele quando lhe pediram para escolher os pontos mais altos e baixos do ano.

“A corrida no Brasil foi difícil este ano, porque foi muito boa para nós em 2022. Dominamos todo o final de semana no ano passado, a corrida Sprint e o GP no domingo, e depois em 2023 aconteceu o contrário. Então esse foi um momento ruim”, encerrou o chefe da Mercedes.