F1: Usuários de criptomoedas entram com ação judicial contra equipe Mercedes

Um grupo de usuários da criptomoeda FTX entrou com ações judiciais contra a equipe de Fórmula 1 da Mercedes, alegando que a equipe ajudou a cometer fraude ao promover a empresa de criptomoedas, agora falida. De acordo com uma nova ação judicial por um grupo de usuários da FTX, a equipe da Mercedes F1 e a Major League Baseball (MLB) são acusadas de ajudar a cometer fraude por meio de acordos promocionais envolvendo a criptomoeda FTX.

Em 27 de novembro, os autores das ações entraram com duas ações judiciais coletivas em um tribunal da Flórida, acusando as empresas de “auxiliar e incitar e/ou participar ativamente da fraude massiva e multibilionária do Grupo FTX” e promover valores mobiliários não registrados, segundo a Cointelegraph.

A Mercedes firmou uma parceria com a FTX em 2021, com o logotipo da criptomoeda aparecendo na pintura do carro, bem como nos macacões da equipe. O acordo foi anunciado em um momento em que várias equipes de F1 estavam fechando acordos com empresas de criptomoedas.

No mesmo ano, a MLB assinou um acordo semelhante e se tornou a primeira liga esportiva profissional a fazê-lo, com árbitros usando o logotipo da FTX em seus uniformes.

A queixa coletiva afirma: “O ponto central, e o recurso mais importante, da parceria, no entanto, foi a inclusão de patches da FTX.US em todos os uniformes de árbitros da MLB. Os patches da FTX.US marcaram a primeira vez na história da MLB, que remonta ao século XIX, que uma marca patrocinadora teve seu logotipo aparecendo em uniformes de árbitro.”

Uma reclamação semelhante foi apresentada contra a Mercedes, afirmando que o logotipo da FTX foi visto em locais proeminentes, como nos carros, mercadorias e marketing da equipe.

Além das ações contra a Mercedes e a MLB, o mesmo grupo de usuários da FTX também está processando uma lista de celebridades que promoveram a exchange, incluindo os ex-esportistas Shaquille O’Neal e Tom Brady, com acusações semelhantes de promover valores mobiliários não registrados. O jogador de futebol Cristiano Ronaldo também teria sido processado, segundo a OE24.

Muitas celebridades nomeadas nas ações judiciais tentaram fazer com que as acusações contra elas fossem descartadas, alegando que não incentivaram a depositar dinheiro na FTX, e pelo menos três resolveram os casos contra elas.

Pouco mais de um ano após o acordo ter sido fechado, a MLB encerrou seu contrato promocional de cinco anos com a FTX quando a empresa entrou com pedido de falência em novembro de 2022. A Mercedes F1 também encerrou seu acordo com a FTX no mesmo ano, removendo o logotipo de seus carros e mercadorias.

O fundador e ex-CEO da FTX, Sam Bankman-Fried, foi considerado culpado de sete acusações de fraude, conspiração e lavagem de dinheiro há um ano.