F1: RB planeja mudança para nova instalação em Milton Keynes até final de 2024

A equipe de Fórmula 1 RB está com planos avançados para transferir sua operação aerodinâmica para uma nova instalação em Milton Keynes até o final de 2024. O anúncio foi feito por Laurent Mekies, dirigente da equipe, marcando um novo capítulo para a equipe tradicionalmente baseada em Faenza desde os anos 70, quando ainda era conhecida como Minardi.

Enquanto a sede principal da RB continuará em Faenza, a mudança para Milton Keynes representa uma evolução significativa nas operações da equipe, especialmente no que tange ao departamento aerodinâmico. Desde 2022, a equipe vem utilizando o túnel de vento em larga escala da Red Bull em Bedford, mas agora se prepara para consolidar suas operações em uma nova instalação, localizada no campus da Red Bull em Milton Keynes.

Laurent Mekies enfatizou que, apesar da mudança, não há solicitações para que os engenheiros se mudem para a Inglaterra. “Faenza é o lar histórico da equipe e conta com instalações bastante modernas, além de ter recebido investimentos recentes. Temos ferramentas de produção muito boas aqui e uma grande parte do escritório de design”, explicou Mekies ao site italiano de Motorsport.com.

A necessidade da mudança é atribuída ao crescimento do departamento aerodinâmico, que triplicou de tamanho, tornando a localização atual em Bicester inadequada. A proximidade com o novo túnel de vento foi um fator decisivo para a escolha de Milton Keynes.

Este movimento despertou críticas e preocupações entre equipes rivais, especialmente por parte de Zak Brown, da McLaren, que questionou a independência entre as duas equipes pertencentes à Red Bull, dada a crescente aliança entre as duas. A mudança para Milton Keynes levantou especulações sobre a possível transferência de pessoal entre as equipes, o que poderia implicar em compartilhamento de propriedade intelectual.

No entanto, Mekies garantiu que todas as transferências de pessoal foram realizadas em conformidade com as regulamentações da FIA, assegurando que não houve violações das regras sobre propriedade intelectual. “As regulamentações são muito claras. É bem definido que você não pode usar a transferência de pessoal para contornar a regulamentação relativa à [propriedade intelectual]. Portanto, você não pode mover uma pessoa da equipe A para a equipe B a fim de transferir conhecimento”, afirmou Mekies.