F1: Mercedes optou por contrato curto com Hamilton para abrir espaço a Antonelli

A equipe Mercedes Formula 1 adotou uma estratégia cautelosa ao definir o contrato de Lewis Hamilton, optando por um compromisso de curto prazo que mantém aberta a porta para a jovem promessa Andrea Kimi Antonelli. Segundo Toto Wolff, chefe da equipe, a decisão de não vincular Hamilton a um contrato de longa duração foi influenciada pela intenção de não perder Antonelli, que é considerado um grande talento em ascensão no automobilismo.

Em agosto passado, Hamilton firmou um contrato de dois anos com a Mercedes, com ampla especulação de que o acordo seria mantido por todo o período. Entretanto, cláusulas de escape permitiram a Hamilton considerar uma oferta da Ferrari para o segundo ano, liberando assim seu lugar na Mercedes para 2025 e potencialmente permitindo que Antonelli se junte à equipe já no próximo ano.

Andrea Kimi Antonelli, com apenas 17 anos, está avançando para a Fórmula 2 nesta temporada com a equipe Prema, após conquistar o campeonato italiano de F4 em 2022 e o campeonato de Fórmula Regional Europeia no ano passado. A trajetória de Antonelli é acompanhada de perto pela Mercedes, que vê nele um potencial semelhante ao que uma vez vislumbrou em Max Verstappen, antes deste se juntar à Red Bull.

Wolff relembrou a situação de 2014, quando a Mercedes tinha interesse em Verstappen mas não possuía um assento disponível, permitindo que a Red Bull o contratasse. A equipe quer evitar um cenário semelhante com Antonelli, buscando manter opções flexíveis para o futuro.

Apesar da vaga aberta para 2025, Wolff esclarece que não há garantias de que Antonelli ocupará o lugar na equipe Mercedes no próximo ano, considerando a juventude e a experiência do piloto. A equipe planeja um programa extensivo de testes privados com Antonelli em 2024, utilizando um carro de 2022, para avaliar sua prontidão para a Fórmula 1.

Wolff descreve Antonelli como um “prodígio”, destacando suas conquistas impressionantes em categorias de base e sua decisão de avançar diretamente para a Fórmula 2, pulando a Fórmula 3. A Mercedes vê em Antonelli não apenas um talento excepcional para o futuro próximo, mas também uma peça chave em sua estratégia de longo prazo.

A situação coloca a Mercedes diante de um dilema interessante para 2025: optar por um piloto com experiência ou investir na juventude e no potencial de Antonelli. Com o mercado de pilotos se mostrando “incrivelmente interessante” para 2025, a equipe planeja revisar suas opções nas próximas corridas, ponderando entre a confiança na experiência e a ousadia de apostar em um novato.

Esta abordagem estratégica da Mercedes destaca a importância da flexibilidade nos contratos de pilotos e a visão de longo prazo no desenvolvimento de talentos, mantendo abertas as opções para maximizar o potencial da equipe nas temporadas futuras.