F1: Horner relembra como ídolos da categoria moldaram sua trajetória

Christian Horner, há 19 anos no comando da Red Bull Racing, construiu uma carreira repleta de conquistas com sua equipe. Em entrevista à BBC, o britânico abriu o baú de memórias e revelou quem o inspirou nos primeiros passos na Fórmula 1.

“Sou um grande fã de Nigel Mansell”, afirmou Horner. “Ele era meio que um herói para mim quando estava entrando no mundo da F1. Ele pilotava com muita paixão, dedicação, coração… tudo isso. E também havia os caras que comandavam os times, como Ron Dennis e Frank Williams.”

O chefe da Red Bull continuou: “Então, de repente, quando entrei na Red Bull, estava na mesma sala daqueles que eu admirava. Mas aí você percebe que eles são apenas pessoas competitivas, assim como você. Só têm um pouco mais de experiência”, acrescentou.

A menção a Mansell, campeão na F1 em 1992, traz à tona uma faceta interessante da jornada de Horner. Ao mesmo tempo em que enfrentou esses ídolos nas pistas já no comando da Red Bull, ele também teve a oportunidade de aprender e se inspirar neles. Essa mistura de admiração e rivalidade moldou sua própria filosofia como líder na categoria.

Essa referência a Dennis e Williams, figuras históricas do automobilismo, revela outra camada importante. Horner reconhece a importância da experiência acumulada por esses grandes nomes da categoria, e a vê como um fator iportante para o próprio sucesso.

A trajetória de Horner na F1 é marcada por altos e baixos. Ele viu Sebastian Vettel conquistar quatro títulos com a Red Bull, enfrentou um período de vacas magras, e desde 2021, celebra o domínio de Max Verstappen. Ao longo desse percurso, as lições dos ídolos certamente o ajudaram a construir a mentalidade vencedora que hoje caracteriza a Red Bull.