F1: Ferrari liga pela primeira vez motor que será usado em 2026

A Ferrari parece pronta para tentar voltar ao topo da Fórmula 1. De acordo com o Motorsport italiano, a Scuderia ligou com sucesso sua primeira unidade de potência para as novas regulamentações da categoria, que entram em vigor em 2026.

Como já foi amplamente divulgado, a temporada de 2026 promete uma revolução nos motores da F1. Apesar de manter o V6 turbo de 1.6 litros, a nova geração dará protagonismo aos sistemas elétricos, que passarão a entregar 50% da potência total. Além disso, o MGU-H será completamente descartado.

Ainda há dois anos para a estreia das novas regras, mas a Ferrari já demonstrou estar à frente do restante do grid. O time liderado por Wolf Zimmerman e Enrico Gualtieri conseguiu ligar o protótipo da unidade de potência, já sob a regulamentação de 2026, e os primeiros resultados foram positivos.

Segundo o site italiano, a Ferrari está priorizando o desenvolvimento da fase de combustão do motor, devido à introdução de combustíveis sustentáveis em 2026. A equipe também se beneficia da colaboração com a AvL, empresa austríaca com vasta experiência em motores híbridos.

Os próximos dois anos servirão para explorar diferentes caminhos e aprimorar o projeto inicial. Espera-se que diversas versões da unidade de potência de 2026 sejam testadas durante a primeira fase de desenvolvimento.

Além do futuro, a Ferrari também exala otimismo em relação ao presente. Ainda segundo o Motorsport italiano, existe um ‘clima de confiança’ na equipe sobre o carro de 2024, o Project 676 (nome provisório), que será apresentado no dia 13 de fevereiro de 2024.

Parece que a Ferrari realmente está disposta a voltar para o topo do grid na Fórmula 1, e vem trabalhando duro tanto para a próxima temporada, como para a nova regulamentação de 2026.