F1: Estratégias possíveis para o GP da Austrália 2024 prometem emoção

No ambiente sempre imprevisível do Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1, a edição de 2024 está particularmente sob os holofotes devido à escolha da Pirelli por compostos de pneus mais macios. Esta seleção indica uma corrida com múltiplas paradas, marcada por degradação acentuada, desgaste e granulação, trazendo novas variáveis para as estratégias de corrida no Albert Park.

Relembrando 2023, a corrida foi dominada por eventos inesperados, incluindo períodos de Safety Car e bandeiras vermelhas, que desviaram os planos estratégicos originais. Max Verstappen, Lewis Hamilton e Fernando Alonso, que completaram o pódio, adotaram uma abordagem médio>duro, ajustando para compostos macios nas voltas finais após uma interrupção.

A introdução dos compostos C3, C4 e C5 para 2024 agita o cenário estratégico, sugerindo uma preferência das equipes por uma corrida de duas paradas. A seleção estratégica visa iniciar com pneus médios, seguido por dois períodos de compostos duros, indicando um desafio em termos de ultrapassagens e gerenciamento de pneus.

O risco de granulação nos compostos médios destaca a potencial vantagem do undercut, especialmente se um Safety Car for acionado precocemente. Apesar da improbabilidade de três paradas sem interrupções, a utilização estratégica de pneus macios no início pode ser uma aposta para ganhar posições.

Para os pilotos fora do top 10, a granulação persistente representa um desafio, onde uma estratégia de duro>médio>duro oferece flexibilidade para paradas estratégicas, embora a aposta em uma única parada pareça arriscada sem períodos prolongados de Safety Car.

O clima em Melbourne adiciona uma camada de incerteza, com ventos fortes possivelmente afetando a gestão dos pneus.

F1: Estratégias possíveis para o GP da Austrália 2024 prometem emoção

F1: Estratégias possíveis para o GP da Austrália 2024 prometem emoção