F1: Entre a confiança e a incerteza, o ano de Hamilton na Mercedes

Lewis Hamilton, heptacampeão mundial de Fórmula 1, abriu o coração sobre os desafios e as dúvidas que enfrentou durante a temporada difícil de 2023 com a Mercedes. Apesar de ter finalizado em terceiro no campeonato e conquistado seis pódios, Hamilton não alcançou uma vitória desde o Grande Prêmio da Arábia Saudita em 2021. A temporada de 2023 também marcou a primeira vez desde aquele fim de semana em Jeddah que ele conseguiu uma pole position, feito atingido no GP da Hungria.

Confrontado com a dominante temporada de Max Verstappen, que obteve 19 vitórias, Hamilton admitiu ter momentos de questionamento sobre sua capacidade. Em uma entrevista à BBC Sport, ele refletiu: “Quando você tem temporadas difíceis como esta, sempre vai ter momentos em que você pensa: ‘Sou eu, ou é o carro? Ainda tenho isso? Isso se foi?'”. Ele acrescentou: “Só sou humano. Se alguém no mundo disser que não tem essas coisas, está em negação. Todos somos seres humanos”.

Hamilton percebeu que teria um ano desafiador desde o primeiro momento em que pilotou o W14 durante o shakedown pré-temporada em Silverstone, em fevereiro. As escolhas de design feitas pelos engenheiros da Mercedes, apesar dos desejos de Hamilton, acabaram não sendo bem-sucedidas, resultando em atrasos e dificuldades para alcançar os concorrentes. Recordando-se do início da temporada, Hamilton disse: “Lembro-me de sentir exatamente o mesmo. E isso definitivamente não foi um bom pressentimento. Eu realmente tinha grandes esperanças”.