F1: Chefe da Red Bull fala sobre dificuldes dos companheiros de equipe de Verstappen

Max Verstappen conquistou o tricampeonato de Fórmula 1 em 2023, e com isso se consolida como um dos maiores nomes da história da categoria. Ser seu companheiro de equipe, porém, não é tarefa fácil. Daniel Ricciardo, Pierre Gasly e Alexander Albon experimentaram essa dificuldade, e mesmo Sergio Perez não consegue se equiparar ao holandês.

Christian Horner, chefe da Red Bull, reconhece o desafio: “Max é extremamente talentoso e vem evoluindo continuamente desde que chegou à equipe aos 18 anos. Já dava para ver seu potencial naquela época, mas o quanto ele evoluiu é impressionante.”

Horner justifica a dificuldade dos companheiros: “Porque Max é simplesmente muito bom! Sentimos que Sergio (Perez) poderia contribuir com sua experiência. O conheço há muito tempo e trabalhei bastante para trazê-lo para a equipe devido a isso. Ele venceu quatro corridas para nós e foi crucial no título de 2021, então sua chegada foi justificada.”

Perez chegou a estar na luta pelo título no início da temporada 2023 ao vencer duas das primeiras quatro corridas, mas a superioridade de Verstappen logo se tornou evidente. Horner atribui isso ao alto nível do holandês: “É natural que os companheiros de Max tenham dificuldades. Ele está em um patamar acima no momento. Isso não diminui as qualidades dos outros pilotos, mas o talento e a performance de Verstappen estão em outro nível”, concluiu o chefe da Red Bull.

O desafio, então, para a Red Bull é encontrar alguém que consiga se aproximar do desempenho de Verstappen sem sacrificar o apoio estratégico fundamental de um segundo piloto forte. Encontrar esse equilíbrio será crucial para a equipe manter seu domínio na Fórmula 1 nos próximos anos.