F1: Chefe da Alpine analisa evolução da equipe no final da temporada deste ano

A Alpine demonstrou um progresso significativo na parte final da temporada 2023 da Fórmula 1, apesar de terminar em sexto lugar no Campeonato de Construtores. Um exemplo claro disso foi a diferença de resultados entre os GPs da Itália e de Las Vegas.

Em Monza, a equipe sofreu com a falta de downforce e o déficit de potência do motor Renault, levando ambos os pilotos a serem eliminados no Q1. No entanto, em Las Vegas, com uma configuração de circuito similar, Pierre Gasly conquistou o quarto lugar na sessão de qualificação e Esteban Ocon terminou a corrida em quinto.

Bruno Famin, chefe interino da Alpine, atribui essa evolução a uma combinação de análise rápida, introdução de novos componentes aerodinâmicos e uma mudança na mentalidade da equipe. “Fiquei muito satisfeito com o resultado de Vegas”, disse Famin ao Autosport. “Não pelo quarto lugar, ok estamos felizes em ser quinto na sessão de classificação e quarto na corrida, mas pelo fato de Monza ter sido muito ruim, ter sido um péssimo resultado.”

“Mas demoramos para analisar o porquê, o que aconteceu, onde erramos e imediatamente propor coisas novas, porque Las Vegas era bem parecido em alguns pontos. Estávamos em risco em Vegas se não fizéssemos nada. Imediatamente a equipe reagiu, propôs alguma evolução aerodinâmica, desenvolveu, produziu e colocou no carro. Bem a tempo, mas conseguimos e funcionou”, disse ele.

Famin também destacou a mudança de mentalidade na equipe, afastando-se de uma filosofia de trabalho que ele considerava ‘não ousada o suficiente’. “Mas agora tivemos uma reação muito forte e muito positiva, e valeu a pena”, continuou. “A posição no final, o resultado final é a atitude que foi muito boa. É um exemplo de coisas que já mudaram.”

Apesar do progresso demonstrado, a Alpine ainda enfrenta o desafio do déficit de potência do motor Renault. A FIA descobriu que o motor está 20-33hp atrás dos concorrentes Ferrari, Honda e Mercedes. No entanto, a equipe optou por focar seus esforços no desenvolvimento do motor para o regulamento de 2026.