F1: CEO da Alfa Romeo comenta futuro da marca no automobilismo

O CEO da Alfa Romeo, Jean-Philippe Imparato, revelou que as negociações de patrocínio com a equipe Haas na Fórmula 1 fracassaram, porque a marca italiana não queria ser apenas mais um patrocinador ‘sem voz’.

Após se retirar como construtor no final de 1985, a Alfa Romeo retornou à F1 com a Sauber em 2018, através de um acordo técnico e comercial de vários anos. Um ano depois, a marca italiana se tornou a patrocinadora principal da equipe, mas esse arranjo chegou ao fim após a temporada 2023, antes da transição da equipe para uma entrada de fábrica da Audi em 2026.

No entanto, surgiram rumores de que a Alfa Romeo estava buscando opções para permanecer na F1, levando a relatos de que o chefe da equipe Haas, Guenther Steiner, havia se reunido com Imparato.

Quando questionado em junho sobre uma possível parceria entre Haas e Alfa Romeo, Steiner disse: “Muitas pessoas estão me dizendo isso, os únicos que ainda não me disseram isso foi o pessoal da Alfa Romeo. Obviamente, eles estão analisando o que farão no futuro, e acho que eles vieram para saber como estamos nos saindo, apenas uma introdução, nada mais”, disse ele.

Mas essa especulação não se materializou em um acordo. Imparato explicou agora que a Alfa Romeo queria evitar uma replica do acordo que tinha mantido com a Sauber. Não estávamos interessados em fazer uma operação do tipo ‘copiar e colar’ no estilo daquela feita com a Sauber”, disse Imparato ao Autosport.

“Isso teria nos levado a nos tornarmos um daqueles que colocam adesivos em carrocerias. Não seria mais novidade e não faríamos parte de uma história. Começamos a olhar para algo diferente, chegando rapidamente a uma conclusão.”

“A Alfa Romeo não tem nada a ver com o mundo do Rally, o grupo Stellantis já tem duas marcas envolvidas na Fórmula E, então o foco mudou para o WEC, um mundo em que a Alfa Romeo viveu experiências maravilhosas no passado”, concluiu.

Dessa forma, parece que a montadora italiana vai redirecionar seu foco no automobilismo para o Campeonato Mundial de Endurance (WEC), onde pode eventualmente firmar uma aliança com a Peugeot.