F1: Brundle diz que Ricciardo ainda não convenceu e precisa fazer mais para voltar à Red Bull

O ex-piloto de Fórmula 1 e atual comentarista, Martin Brundle, não acredita que Daniel Ricciardo esteja pronto para retornar à Red Bull no momento. Segundo ele, o australiano precisa mostrar muito mais na próxima temporada do que nas últimas.

Falando no podcast ‘Beyond the Grid’, Ricciardo mais uma vez não escondeu seu desejo, pois ele quer encerrar sua carreira na F1 na Red Bull Racing. Seu retorno à AlphaTauri lhe deu a confiança para olhar para o futuro novamente, e nos próximos anos, ele está mirando no assento ao lado de Max Verstappen. Brundle, no entanto, tem fortes dúvidas sobre se isso pode realmente acontecer.

“Não acho que Daniel tenha superado Yuki (Tsunoda) como eu esperava. Sei que ele foi jogado no fundo do poço e teve muita falata de sorte com aquele ancidente em Zandvoort (onde Ricciardo fraturou a mão esquerda e teve que ficar fora de alguns GPs). Então, o ‘júri ainda está deliberando sobre isso’. E você tem que dizer que a McLaren o substituiu por Oscar Piastri, com um alto custo, mas isso provou ser uma jogada inteligente, não é? Então para mim, Daniel tem muito mais a fazer antes que eu ache que ele esteja pronto para ir para a Red Bull e lutar contra Max Verstappen”, disse Brundle na Sky Sports.

Nas oito vezes em que Ricciardo correu pela AlphaTauri em 2023, Tsunoda teve melhor desempenho do que o australiano. O piloto japonês venceu o duelo de qualificação por 4-3 e teve uma diferença média de 0.166s. Nas corridas, Tsunoda também terminou à frente de Ricciardo mais vezes (4-2) e também marcou mais pontos nas oito corridas que disputaram juntos: 15 contra 06.

O contrato de Sergio Perez termina no final de 2024 e Ricciardo, aos 34 anos (ele fará 35 em julho do próximo ano), espera ter a chance de retornar à sua antiga equipe. No entanto, a Red Bull também vai manter seus olhos abertos para outras opções. Os contratos de muitos pilotos terminam no final de 2024, o que significa que há muita coisa possível para a atual equipe campeã na Fórmula 1.