F1: Brown propõe rodízio entre alguns GPs para aliviar pressão sobre as equipes

O CEO da McLaren, Zak Brown, expressou preocupações com a exaustão das equipes diante do iminente aumento para 24 corridas no calendário da Fórmula 1 em 2024. Brown destacou a necessidade de adotar uma abordagem de rodízio para aliviar a pressão sobre o pessoal da F1, que se encontra sobrecarregado com a crescente demanda.

Com a popularidade da categoria, impulsionada pelo sucesso do documentário da Netflix, ‘Drive to Survive’, a F1 enfrenta o desafio de equilibrar a expansão do calendário com o bem-estar do pessoal das equipes. O retorno do GP da China em 2024, ausente desde 2019, elevará o número de corridas para 24, incluindo seis finais de sermanacom corrida Sprint.

Brown afirmou que a solução para conciliar o desejo de expansão do calendário com as limitações de recursos, é incorporar um sistema de rodízio. Em uma entrevista ao podcast Track Limits, ele afirmou: “Não sou a favor de um calendário com mais de 24 corridas. Sou a favor de corridas em rodízio. Podemos ter 18 corridas permanentes e talvez 10 que se alternam a cada dois anos.”

A proposta de Brown visa oferecer a todos os interessados a oportunidade de participar da ação da F1 sem sobrecarregar as equipes. Ele reconhece a necessidade do crescimento do calendário, mas ressalta que a abordagem deve ser equilibrada, considerando a exaustão atual de todos os envolvidos. Com a sugestão de rodízio, Brown busca preservar o entusiasmo pela categoria sem comprometer a saúde e a eficiência das equipes da F1.