F1: Alvo de acusações infundadas, Susie Wolff cobra justiça e transparência da FIA

Susie Wolff, Diretora Executiva da F1 Academy e esposa do chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, se pronunciou novamente após a FIA descartar as alegações de conflito de interesses contra ela e seu marido.

A investigação do órgão regulador do automobilismo, foi motivada por ‘especulações da mídia’ de equipes rivais na Fórmula 1, que alegavam a possibilidade de troca de informações confidenciais entre Susie e seu marido, chefe da Mercedes.

Nove equipes da F1 posteriormente emitiram comunicados afirmando que não haviam feito reclamações à FIA, enquanto a F1, a Mercedes e Wolff refutaram as acusações.

Pouco mais de 24 horas após os comunicados, a FIA anunciou suas próprias conclusões, determinando que não havia evidências de irregularidades.

Em um post nas mídias sociais, Susie Wolff expressou sua indignação com a forma como o caso foi conduzido: “Quando vi a declaração da FIA, minha primeira reação foi: ‘É só isso?’,” disse ela.

“Por dois dias, insinuações foram feitas sobre minha integridade em público e através de briefings de bastidores, mas ninguém da FIA falou comigo diretamente.”, acrescentou.

Ela ainda questionou a motivação por trás das acusações e destacou o impacto negativo que elas tiveram em sua vida. “Eu posso ter sido um dano colateral em um ataque malsucedido a outra pessoa, ou o alvo de uma tentativa fracassada de me desacreditar pessoalmente, mas eu trabalhei duro demais para ter minha reputação questionada por um comunicado de imprensa infundado”, afirmou.

Susie se mostrou grata pelo apoio da comunidade da Fórmula 1, mas ressaltou a necessidade de transparência e responsabilização: “Este episódio ocorreu até agora sem transparência ou responsabilização. Recebi abusos online sobre meu trabalho e minha família”, lamentou.

“Não vou me deixar intimidar e pretendo continuar até descobrir quem instigou essa campanha e enganou a mídia. O que aconteceu esta semana simplesmente não é bom o suficiente. Como esporte, devemos exigir, e merecemos o melhor”, finalizou Susie Wolff.

O caso levanta questões sobre o processo de investigação da FIA e a proteção dos profissionais do automobilismo contra acusações infundadas. A comunidade da F1 espera que o órgão regulador tome medidas para garantir maior transparência e responsabilidade em situações como essa.