F1: Alpine perde mais um nome experiente com a saída de Bob Bell

A Alpine sofreu mais uma baixa importante. O experiente engenheiro Bob Bell anunciou sua saída da equipe francesa, encerrando sua longa parceria que começou em 1997, quando a equipe ainda corria sob o nome Benetton.

Bell atuou em diferentes cargos na equipe ao longo de três passagens. Inicialmente, ele ocupou a posição de engenheiro até ser promovido a Diretor Técnico em 2003, sendo responsável pelo desenvolvimento dos carros pilotados por Fernando Alonso nos históricos títulos de 2005 e 2006.

Após o escândalo ‘Crashgate’, Bell assumiu interinamente o papel de chefe de equipe em 2009, e posteriormente, Diretor Administrativo em 2010. No entanto, ele deixou a Renault naquele ano para se tornar Diretor Técnico da Mercedes, contribuindo decisivamente para o sucesso da equipe na temporada de 2014.

Bell retornou à Renault, agora Alpine, em 2016 como Diretor Técnico do projeto de retorno à Fórmula 1. Desde 2018, ele atuava como consultor, com menor envolvimento direto na equipe.

A saída de Bell é mais um capítulo na reformulação da Alpine. A equipe francesa vem passando por mudanças significativas desde a temporada passada, que começaram com a saída do chefe de equipe Otmar Szafnauer, e se seguiram com as saídas do diretor esportivo Alan Permane e do diretor técnico-chefe Pat Fry, tudo isso no meio de 2023.

Depois do péssimo início de temporada em 2024, onde os dois carros ficaram no final do grid no GP do Bahrein, a Alpine anunciou a saída do diretor técnico Matt Harman e do chefe de aerodinâmica Dirk de Beer. A equipe liderada por Bruno Famin busca se inspirar no modelo da McLaren, implementando uma estrutura técnica comandada por três diretores para tentar reverter o quadro negativo.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ o GP da Arábia Saudita com o jornalista Rodrigo França direto de Jeddah.