F1: Alpine acalma preocupações sobre perda de potência nos motores de 2026

Bruno Famin, Diretor Interino da Equipe Alpine, acalmou as preocupações levantadas sobre as regulamentações de Unidades de Potência de 2026 da Fórmula 1.

Preocupações das equipes de Fórmula 1 foram levantadas em meio a simulações que mostraram pilotos tendo que desacelerar repentinamente e reduzir marchas em retas devido à regeneração de bateria necessária.

O novo ciclo de regulamentações verá um aumento no poder elétrico, com uma divisão de 50:50 entre a saída elétrica e o motor de combustão interna. As regulamentações despertaram o interesse de vários fabricantes, com seis atualmente inscritos para a nova era do esporte, incluindo a chegada da Audi e o retorno da Honda.

A F1 respondeu às preocupações das equipes destacando que suas reclamações eram baseadas em dados desatualizados em relação às descobertas da própria FIA.

A F1 também terá novas regulamentações de chassi em 2026, que Famin acredita serem cruciais para o desempenho absoluto dos carros.

“Eu acho que todos compartilhamos a preocupação,” disse Famin à mídia. “Todos estamos trabalhando – Fórmula 1, FIA, equipes, fabricantes de Unidades de Potência – para encontrar a regulamentação final correta para os carros.

“Acredito que a gestão de energia, ainda podemos trabalhar nisso nos próximos meses. Não há pressa.

“O que eu tenho a dizer é que, agora que a regulamentação técnica da PU foi oficializada há bastante tempo, cerca de um ano e meio atrás, todos os fabricantes de PU estão trabalhando duro.

“Eles já fizeram escolhas muito importantes em termos do caminho que queremos seguir, a tecnologia que queremos desenvolver.

“Mudar agora não seria uma coisa boa. Claramente, não é aceitável.

“Mas estou convencido de que encontraremos uma maneira com a regulamentação técnica do chassi para fazer bons carros, um bom esporte.”