Bearman relata dificuldades físicas após sua estreia na F1

Oliver Bearman enfrentou uma estreia desafiadora na Fórmula 1 ao substituir Carlos Sainz no GP da Arábia Saudita. As diferenças entre a F1 e a F2 se tornaram evidentes para o jovem piloto, com a intensidade das forças G, a duração da corrida e a exigência física se destacando como grandes obstáculos.

Após a corrida, Bearman revelou que sentiu uma rigidez extrema no corpo, especialmente na região lombar. As exigências físicas para completar 50 voltas em um dos circuitos mais difíceis do calendário da F1, deixaram marcas até mesmo no encosto de cabeça do piloto. Sua altura de 1,87 metros complicou ainda mais as coisas, já que os carros da F1 não são projetados para o conforto dos pilotos.

O jovem britânico também ressaltou as diferenças entre a F1 e a F2, destacando a maior carga de trabalho de braço na F2, devido à falta de assistência hidráulica na direção. Apesar dos desafios físicos e da exaustão, Bearman expressou sua satisfação por ter enfrentado a prova e por ter aproveitado a experiência.