Com colaboração brasileira, FIA anuncia novo Programa de Mentoria para Mulheres no Automobilismo

Mais um importante passo rumo à igualdade de gênero no automobilismo foi dado pela Federação Internacional do Automóvel (FIA) com o lançamento do inovador Programa de Mentoria para Mulheres no Automobilismo. A iniciativa global de desenvolvimento conectará profissionais bem-sucedidas com aquelas que desejam avançar ou iniciar suas carreiras neste campo. E a iniciativa tem participação brasileira: Fabiana Ecclestone, Vice-Presidente de Esportes da FIA para a América do Sul, é uma das mulheres responsáveis pela idealização da ação.

O lançamento ocorreu na última semana durante a Conferência FIA 2024, em Samarcanda, Uzbequistão, e no evento de networking da comissão Women in Motorsport (Mulheres no Automobilismo) em Le Mans, França. A Vice-Presidente de Esportes da FIA para a América do Sul, Fabiana Ecclestone, junto da diretora do Departamento de Sustentabilidade e D&I da FIA, Sara Mariani, da ex-Secretária Geral da FIFA e atual membro do Senado da FIA, Fatma Samoura, da presidente da Comissão Mulheres no Automobilismo, Burcu Cetinkaya, da presidente da Comissão WRC, Pernilla Solberg, e da consultora de EDI da FIA, Tanya Kutsenko, foram as responsáveis pelo lançamento do programa.

“É um momento histórico na FIA, sem dúvidas”, destaca Fabiana Ecclestone, colaboradora na iniciativa e que direciona a ação também às federações e clubes da América do Sul. “O lançamento do Programa de Mentoria Mulheres no Automobilismo é um passo significativo em direção à igualdade de gênero no esporte. Ao unir forças com mulheres influentes, estamos criando oportunidades para todas aquelas que desejam crescer e prosperar no mundo do automobilismo”, continuou a dirigente brasileira.

“Estou ansiosa para ver o impacto positivo que este programa trará para as mulheres em nossa comunidade”, afirmou Fabiana, que é Vice-Presidente de Esportes da FIA na América do Sul, continente onde a participação feminina tem aumentado de maneira significativa em diversas camadas profissionais do esporte a motor, especialmente no Brasil, por meio de iniciativas como a Comissão Feminina de Automobilismo da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo).

Presidente da CFA, a pilota Bia Figueiredo também deu as boas-vindas à iniciativa. “É uma novidade importantíssima, que vem para incentivar também mulheres que já estão no automobilismo, em qualquer área. Elas vão interagir com outras profissionais, e a expectativa é que possamos ajudar essas mulheres a ter um melhor networking para crescerem em suas áreas de atuação dentro do esporte, o que adiciona muito ao trabalho que a gente faz no Brasil com a Comissão Feminina. E, obviamente, a Fabiana sempre muito envolvida com tudo que a gente faz aqui; ela sempre foi uma grande incentivadora e, graças a ela e também ao Giovanni Guerra, a Comissão Feminina existe. Então, a participação dela é fundamental para o sucesso de todos esses projetos”, testemunhou Bia.

A CFA – Comissão Feminina de Automobilismo – desenvolve um trabalho de inclusão de mulheres em diversas áreas de atuação no automobilismo brasileiro, em várias categorias, como kart, pista e rali, incentivando projetos de estudantes e promovendo estágios em equipes e campeonatos em áreas como mecânica, engenharia, comunicação, marketing e outras que envolvam o esporte a motor.

Giovanni Guerra, presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), aponta a importância do trabalho de inclusão e democratização do esporte a motor não só no Brasil, mas no mundo todo. “Nós esperamos aproveitar, aprofundar, desenvolver e trazer resultados para o Brasil e também para a América do Sul com o Programa de Mentoria para Mulheres no Automobilismo, assim como conseguimos trazer com o Girls on Track. O trabalho da Fabiana (Ecclestone) tem sido um divisor de águas para o automobilismo sul-americano, com todas estas iniciativas que têm feito muita diferença”,  atestou.

Agora aberto para inscrições, o programa busca facilitar o crescimento pessoal e profissional, conectando mentoras experientes com mentorandas em busca de orientação. A interação ocorrerá por meio de uma plataforma digital, garantindo flexibilidade e acessibilidade independentemente da localização das participantes.

O processo de inscrição para clubes e registros individuais é simples e eficiente. Cada clube ou federação receberá um e-mail com um link exclusivo para inscrição, podendo nomear até duas participantes, com base na ordem de chegada das inscrições.

O presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, reforçou o discurso de Fabiana sobre a importância da diversidade no automobilismo e reafirmou o compromisso da federação em tornar o esporte mais acessível a todos. Desde sua criação em 2009, a Comissão Mulheres no Automobilismo tem trabalhado para mudar a cultura do esporte, valorizando e facilitando a participação feminina em todos os aspectos.

“É importante que o automobilismo se diversifique, e aqui na FIA estamos comprometidos em tornar nosso esporte mais acessível a todos. Este novo programa ajudará a criar uma rede de apoio e aprendizado para mulheres, garantindo acessibilidade e abrindo novas oportunidades em consonância com nosso compromisso com a Igualdade, Diversidade e Inclusão. Estou orgulhoso de trabalhar com tantas mulheres talentosas em nosso esporte e defendo suas vozes”, disse o presidente.

Com programas como este, que promovem a participação feminina dentro e fora das pistas, e ao aumentar a conscientização sobre a variedade de papéis disponíveis para mulheres na indústria, a FIA demonstra seu apoio às mulheres, mostrando que são reconhecidas e apoiadas pelo órgão máximo responsável pelo automobilismo.

“Com a Fabiana, a FIA tem dado uma atenção toda especial ao continente, e em especial ao Brasil, neste trabalho de diversidade, e os resultados alcançados pela Bia Figueiredo e todas as outras mulheres envolvidas na Comissão Feminina de Automobilismo da CBA e também com o Girls on Track. Sou só agradecimento pelo empenho de todas. Tenho certeza de que ainda vamos seguir aproveitando cada oportunidade que a FIA tem nos dado por meio do trabalho de Fabiana Ecclestone”, agradeceu Giovanni Guerra, presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo.