Power fatura segundo título da Indy, e Palou vence em Laguna Seca

Will Power conquistou neste domingo (11) seu segundo título da Indy. O australiano, piloto da Penske, terminou o Grande Prêmio de Laguna Seca, disputado no circuito localizado em Monterey, na California, na terceira colocação, em uma corrida que teve como vencedor Alex Palou, espanhol que defende a Chip Ganassi.

O dono do carro número 2 largou da pole position e precisava apenas terminar entre os quatro primeiros para conquistar seu segundo título na principal categoria de monopostos dos Estados Unidos. E assim Power fez, se mantendo nesta faixa da classificação ao longo das 95 voltas da prova no tradicional circuito americano.

Palou tomou a liderança após a primeira rodada de paradas nos boxes, deixando Power para trás. A partir daí, o espanhol passou a batalhar com Josef Newgarden, que escalou o pelotão depois de largar da 25ª posição. O americano da Penske chegou a tomar a liderança, mas a estratégia de quatro paradas nos boxes não se pagou, deixando-o em segundo, logo atrás de Power.

Felix Rosenqvist, da McLaren, cruzou a linha de chegada na quarta posição, logo à frente de Romain Grosjean, da Andretti Autosport. Christian Lundgaard levou a RLL ao sexto lugar, sendo seguido por Scott McLaughlin, que terminou em sétimo com a Penske. Alexander Rossi, da Andretti, Marcus Ericsson, da Chip Ganassi, e Pato O’Ward, da McLaren, fecharam o top-10. Helio Castroneves foi o 17º com a Meyer Shank.

A corrida contou com uma única bandeira amarela, acionada na volta 39 após Callum Ilott ter problemas com o carro da Juncos Hollinger. O inglês chegou a liderar a corrida por uma volta, e se manteve entre os ponteiros na parte inicial da corrida em Laguna Seca.

Confira como foi a corrida

A corrida em Laguna Seca começou com Will Power mantendo a liderança nos metros iniciais, sendo seguido por Alexander Rossi e Pato O’Ward, que superaram Callum Ilott no início da corrida. Romain Grosjean completava a lista dos cinco primeiros, enquanto Helio Castroneves, que largou da 12ª posição, escapou da pista e despencou para o 24º lugar.

Entre os postulantes ao título, além do líder Power, Scott McLaughlin fechou o primeiro giro na sétima posição, Marcus Ericsson era o décimo, Scott Dixon vinha em 13º, e Josef Newgarden o 20º. Ainda no primeiro giro, Rinus VeeKay escapou da pista após lance com Conor Daly, perdendo posições. Castroneves, por sua vez, avançou para a 21ª colocação na terceira volta.

Newgarden deixou Kyle Kirkwood para trás, tomando o 19º lugar na terceira volta. O americano da AJ Foyt foi ultrapassado no giro seguinte por Castroneves. No sexto giro, Dalton Kellett rodou no saca-rolhas, mas conseguiu sair do local sem que a bandeira amarela fosse acionada. Na frente, Power passou a abrir vantagem sobre Rossi, alcançando 2,5 segundos na oitava volta.

Felix Rosenqvist entrou no top-10 ao superar Marcus Ericsson na volta nove, enquanto Castroneves abriu a janela de paradas nos boxes na mesma volta. Ericsson, Dixon e Herta pararam na volta dez. Na pista, Ilott superou Rossi para tomar a terceira posição na volta 11. David Malukas e McLaughlin fizeram pit stops na volta 12. Kellett escapou da pista de novo no giro 13.

Rossi e Grosjean pararam nos boxes na volta 14, enquanto O’Ward e Pagenaud trocaram pneus e reabasteceram no giro seguinte. Líder da prova, Power trocou pneus e reabasteceu na volta 16, com Ilott tomando a ponta da corrida momentaneamente, até parar nos boxes no 17º giro. Graham Rahal parou na volta 18, enquanto Palou fez seu pit na volta 20.

A janela de parada nos boxes foi encerrada após os pit stops de Christian Lundgaard e David Malukas, na volta 23, de Newgarden, na volta 24, e Rosenqvist na volta 25. Na pista, Palou passou a se aproximar rapidamente de Power, tomando a liderança da corrida no 27º giro, mesmo momento em que Newgarden superou Dixon, tomando a 12ª posição.

Pagenaud escapou da pista na volta 28, depois de sofrer um toque de Ericsson. Dois giros depois, Palou disparou cinco segundos de vantagem em relação a Power, enquanto Dixon fez sua segunda parada nos boxes no mesmo momento, sendo seguido por McLaughlin, que trocou pneus e reabasteceu na volta 31. Rosenqvist, por sua vez, passou por Ilott para tomar o quarto lugar.

Newgarden seguiu avançando e tomou o oitavo lugar de Lundgaard, enquanto Palou disparou dez segundos de frente para Power. As paradas seguiram com Ericsson na volta 33, Newgarden, na 37, e Lundgaard, na 38. Outro que parou nos boxes foi Callum Ilott, que viu o carro parar pouco depois. Os líderes fizeram seus pits, e a bandeira amarela foi acionada no giro 39.

A corrida recomeçou com Rosenqvist atacando Power, sem conseguir a ultrapassagem, enquanto Newgarden superou O’Ward para tomar a quarta posição. No giro seguinte, o americano passou pelo outro piloto da McLaren, Rosenqvist, tomando o terceiro lugar, enquanto Grosjean superou o mexicano para tomar o quinto posto.

Um pouco mais atrás, Ericsson deixou McLaughlin para trás, tomando o sétimo lugar, enquanto Newgarden passou por Power no saca-rolhas na volta 46, tomando o segundo lugar, sete segundos atrás do líder Palou. Grosjean passou por Rosenqvist e tomou o quarto lugar, ao passo que Dixon foi aos boxes na volta 51, o que foi seguido por McLaughlin na volta seguinte.

Palou mantinha uma vantagem de 8,5 segundos para Newgarden na volta 55, enquanto Ericsson foi aos boxes no mesmo momento. Na volta 57, Lundgaard passou por Rahal, tomando o sétimo posto. O dono do carro número 2 da Penske fez seu terceiro pit stop na volta 61, recebendo pneus macios. No giro 63, Kyle Kirkwood apareceu lento na pista, perdendo muitas posições.

Newgarden passou por O’Ward na volta 63, retomando o quinto lugar. Mais do que isso, o americano passou a descontar a diferença para o líder Palou, e superou Rosenqvist e Grosjean no giro 66. Uma passagem depois, O’Ward foi aos boxes, enquanto Power trocou pneus e reabasteceu na volta seguinte, o que foi repetido por Rosenqvist e Rossi. Palou e Grosjean foram aos pits na volta 69.

A corrida chegou a volta 70 com Newgarden na liderança, seguido por Palou, Power, Ericsson e McLaughlin. O neozelandês da Penske, porém, caiu para o sexto posto ao ser superado por Grosjean no giro 71, se dirigindo aos pits no complemento do giro. O espanhol da Chip Ganassi, então, passou a descontar a vantagem de Newgarden, que foi aos boxes no giro 73.

Palou conseguia manter uma diferença na casa de 25 segundos em relação a Newgarden, que por sua vez mantinha Power e Grosjean logo atrás. Herta e Ericsson, mais atrás, se tocaram no saca-rolhas. Com dez voltas para o final da prova, O’Ward foi para os boxes para uma nova troca de pneus e reabastecimento.

Com sete voltas para o final, Rosenqvist passou por Grosjean para tomar o quarto lugar. Com três voltas para o final, Rossi se estranhou com Ericsson, que escapou da pista. Palou, com mais de 30 segundos de frente, seguiu para vencer a prova, e Power correu para garantir o título de 2022.