Indy: Palou toma liderança após parada nos boxes e vence GP de Indianápolis

Álex Palou venceu neste sábado (11) o Grande Prêmio de Indianápolis, quarta etapa da temporada 2024 da Indy. O espanhol, atual campeão, largou da pole position, chegou a perder a ponta, mas a recuperou após a segunda rodada de paradas nos boxes no circuito misto do Indianapolis Motor Speedway. O representante da Chip Ganassi é o quarto piloto a vencer neste ano.

A segunda posição ficou com Will Power, piloto da Penske que não conseguiu acompanhar o ritmo de Palou na parte final da prova. Christian Lundgaard, da RLL, foi o terceiro após liderar a fase inicial da corrida. O grupo dos cinco melhores contou com outros dois pilotos da Chip Ganassi: Scott Dixon e Marcus Armstrong.

Scott McLaughlin fechou a disputa com a sexta posição com um carro da Penske, sendo seguido por Colton Herta, que largou da última posição e avançou ao sétimo posto com a Andretti. Alexander Rossi levou a McLaren ao oitavo lugar, enquanto Graham Rahal, da RLL, e Felix Rosenqvist, da Meyer Shank, completando o grupo dos dez melhores.

Pietro Fittipaldi cruzou a linha de chegada com a 14ª posição depois de andar bem nos dois primeiros stints. Apostando em uma estratégia de economia de combustível, o brasileiro da RLL chegou a liderar por algumas voltas após retardar a parada nos boxes.

A corrida em Indianápolis contou com uma única intervenção do Safety Car, após Luca Ghiotto cometer um erro e rodar sozinho, deixando o carro da Dale Coyne morrer na volta 66 das 85 voltas programadas.

A próxima etapa da Indy será as 500 Milhas de Indianápolis, corrida marcada para o dia 26 de maio.

Confira como foi a corrida

A prova começou com Álex Palou mantendo a primeira posição nos metros iniciais, não sem escapar da pista. Christian Lundgaard manteve o segundo lugar, mas conseguiu a ultrapassagem no miolo do circuito. Will Power apareceu em terceiro, enquanto Pietro Fittipaldi avançou ao nono lugar. Uma confusão no pelotão de trás fez alguns pilotos passarem pela grama, sem maiores problemas.

Graham Rahal superou Fittipaldi ainda no giro inicial para tomar o nono lugar. No pelotão de trás, Santino Ferrucci se estranhou com Agustín Canapino, mas seguiu na pista. O mesmo não ocorreu com Felix Rosenqvist, que caiu para a 27ª e última posição. Já Marcus Ericsson acertou Colton Herta, que passeou pela brita, seguindo na disputa.

Lundgaard seguia na liderança com seis voltas, mas sempre menos de um segundo distante de Palou, o segundo colocado. Fittipaldi saiu do top-10 ao ser superado por Rinus VeeKay. Dois giros depois, Marcus Armstrong passou por Pato O’Ward, avançando ao sexto posto. Tom Blomqvist, por sua vez, visitou os boxes.

Scott McLaughlin passou por Christian Rasmussen, tomando a 16ª colocação na volta 11. Duas voltas depois, Colton Herta se dirigiu aos boxes para a troca de pneus e reabastecimento. No giro seguinte, foi a vez de Linus Lundqvist fazer seu pit stop, o que foi seguido por Kyle Kirkwood. Canapino e Ferrucci fizeram suas paradas na volta 15.

Com 16 voltas, Lundgaard conseguiu abrir frente para Palou, chegando a 1,1 segundo. Pato O’Ward e Jack Harvey deram sequência à janela de paradas nos boxes. Na passagem seguinte, foi a vez de Will Power trocar pneus e reabastecer. Josef Newgarden foi outro a parar, este na volta 19, Líderes da prova, Lundgaard e Palou se dirijam aos pits, retornando à frente de Power.

O australiano da Penske foi para o ataque sobre Palou e tomou a posição, enquanto Armstrong se dirigiu aos boxes para sua primeira parada. Rahal tomou a liderança, seguido por Rossi e Fittipaldi. O americano da McLaren, por sua vez, foi aos boxes no giro 22. Rahal partiu para o pit stop na volta 23, o que foi seguido por Scott McLaughlin e Romain Grosjean. Fittipaldi tomou a liderança.

O brasileiro foi aos boxes na volta 24, retornando na 11ª posição. Lundgaard retomou a liderança da prova, agora com 1,7 segundo de frente para Power. Palou, Dixon e Armstrong completavam o top-5 com 28 voltas. Rinus VeeKay foi aos boxes com problemas na volta 30. Já Newgarden perdeu desempenho e acabou superado por Rahal, O’Ward e Rossi, caindo para o nono lugar.

Fittipaldi passou por Newgarden na volta 33, tomando a décima colocação da prova. O americano da Penske foi aso boxes três giros depois, o que foi seguido por Rosenqvist. A segunda janela de paradas seguiu com Herta trocando pneus e reabastecendo no giro 37. Na frente, Power cortou a vantagem do líder Lundgaard para menos de um segundo. O australiano foi aos boxes na volta 40.

Lundgaard foi para a troca de pneus e reabastecimento na volta 41, retornando à frente de Power. Palou, Dixon e Rahal partiram para os boxes no giro 42, e o espanhol retornou à pista à frente do dinamarquês da RLL. Rossi partiu aos boxes na volta 44, cedendo a ponta da prova para Fittipaldi. O brasileiro, que ficou preso atrás de um retardatário, fez sua parada na volta 45.

McLaughlin e Grosjean foram para os boxes no giro 46, e Palou retomou a ponta da corrida, seguido por Lundgaard, Power, Dixon e Armstrong. Chamava atenção o desempenho de Colton Herta, que depois de largar da última posição, vinha em nono com 49 voltas. No giro seguinte, Palou alcançou os três segundos de vantagem para os rivais.

Fittipaldi perdeu desempenho com os pneus duros, e passou a ver Kirkwood, o 13º colocado. Santino Ferrucci foi aos boxes com problemas, deixando a corrida na volta 57. A prova chegou à volta 60 com Palou na liderança, com Lundgaard na segunda posição, seguido por Power, Dixon e Armstrong. Fittipaldi seguia na 12ª colocação.

Herta foi aos boxes para a última parada nos boxes na volta 61, o que foi seguido por Rosenqvist, Newgarden e Pourchaire. Fittipaldi e Kirkwood partiram aos boxes no giro seguinte. Na passagem 63, Palou, Lundgaard, Power, Dixon, Rahal, Lundqvist e O’Ward fizeram a troca de pneus e o reabastecimento. Armstrong e Grosjean pararam nos boxes na volta 64.

McLaughlin, então na liderança, foi aos pits no giro 65. A bandeira amarela veio na volta seguinte após Luca Ghiotto parar na pista com problemas no carro da Dale Coyne depois de uma rodada. A relargada veio na volta 69 com Power tentando um ataque sobre Palou, sem conseguir a ultrapassagem. Mais atrás, Herta tomou a sétima posição de Rossi. Fittipaldi caiu para o 14º lugar.

Palou abriu vantagem rapidamente sobre Power, chegando aos 1,8 segundo no giro 72. Um giro depois, Pourchaire reclamou de ter um pneu furado em seu carro. O’Ward, por sua vez, reclamava de falta de potência no carro da McLaren. Fittipaldi, por sua vez, pressionava o mexicano, mas também tinha Kyffin Simpson logo atrás.

Palou só fez abrir vantagem nas voltas finais e seguiu para vencer pela primeira vez na temporada, sendo seguido por Power e por Lundgaard.