F1: Wolff comenta desafios da qualificação sob chuva em Interlagos

A qualificação para o Grande Prêmio de São Paulo foi marcada por condições climáticas desafiadoras, limitando os pilotos a apenas uma tentativa de volta rápida no Q3. Em meio a um cenário de pista completamente molhada, os pilotos da Mercedes, Lewis Hamilton e George Russell, conquistaram as posições P5 e P6, respectivamente, assegurando um lugar na terceira fila do grid de largada para a corrida de domingo. Toto Wolff, chefe da equipe Mercedes, compartilhou suas impressões sobre a sessão de hoje.

Em tom descontraído, Wolff comparou as condições da chuva em Interlagos com as que a equipe já enfrentou na Malásia, sugerindo que o desafio brasileiro não foi tão severo. “Na Malásia, acho que tivemos algo parecido. Aquilo foi pior,” comentou Wolff para o canal Viaplay, brincando sobre a reação do repórter à chuva: “Você está um pouco sensível, isso não foi nada”, disse, referindo-se às condições climáticas da pista.

Em um tom mais sério, Wolff analisou as dificuldades impostas pela chuva, enfatizando a imprevisibilidade do resultado na qualificação sob tais condições. “É super difícil porque você pode ver que pode ser o primeiro ou o último no grupo dos top 10.”

Wolff também observou a performance de outras equipes, como a Red Bull e a Aston Martin, que se saíram bem na sessão devido à estratégia de aquecimento dos pneus. “Você só precisa acertar a janela de temperatura certa, e o Max [Verstappen] simplesmente arrancou, e os dois Aston Martins foram muito cedo na sessão e dirigiram rápido na volta de saída, e eles estão onde estão, e nós talvez estivemos contidos demais.”

Olhando para a corrida de domingo, Wolff se mostra otimista, esperando que o carro da Mercedes se comporte bem na corrida. “Espero que tenhamos um bom carro de corrida, mas não sabemos, e se for o caso, só precisamos olhar para frente e avançar o melhor que pudermos,” concluiu Wolff.