F1: Wolff adota cultura “sem culpa” na Mercedes

Toto Wolff, chefe da Mercedes desde 2013, revelou sua filosofia de liderança na equipe baseada na ‘cultura sem culpa’. Durante o período de Wolff, a Mercedes conquistou sete campeonatos de pilotos e oito de construtores, tornando-se uma potência da Fórmula 1.

O dirigente acredita que, em caso de erros, a responsabilidade final é dele, e não dos funcionários. “Se um mecânico comete um erro, raramente é falha humana. Às vezes, a formação dele ou a qualidade das ferramentas usadas pode não ser a ideal. Isso é culpa minha”, disse Wolff em entrevista à Sky Sports.

Wolff aposta na criação de um ambiente sem medo para o melhor desempenho da equipe. “Quando há medo, as pessoas hesitam em falar sobre problemas. Precisamos permitir que todos se manifestem livremente”, afirmou.

Além disso, ele destaca a importância da união. “Nunca permiti que a garagem se dividisse em duas. Somos um time, com dois pilotos. Eles compartilham o objetivo de vencer pelo time, mas também possuem metas individuais, como o campeonato de pilotos”, acrescentou.

Essa cultura sem culpa se estende até mesmo aos pilotos. “Os grandes campeões buscam erros primeiro neles mesmos. Analisam sua pilotagem, observam se erraram. Se a equipe comete um erro, discutimos como melhorar. Nunca culpo o piloto. Se ele errar, ofereço apoio. Da mesma forma, espero que o piloto, sendo um campeão, transmita confiança para a equipe nos dias de corrida”, finalizou Wolff.