F1: Vowles pede revisão da estratégia da Haas e Magnussen em Jeddah

James Vowles, chefe da Williams, expressou sua preocupação com as táticas adotadas pela Haas durante o GP da Arábia Saudita, pedindo que a Fórmula 1 revise as manobras que permitiram a Nico Hulkenberg conquistar um ponto ao chegar em P10 na corrida.

Durante o período de safety car causado pelo acidente de Lance Stroll, a Haas optou por manter Kevin Magnussen na pista, enquanto seus adversários fizeram pit stops. Magnussen acabou recebendo duas penalidades por manobras questionáveis, incluindo uma colisão com Alex Albon, da Williams.

Como a corrida de Magnussen já estava comprometida pelas penalidades, a Haas pediu que ele ‘segurasse’ os vários carros que estavam atrás dele, o que ele realmente conseguiu fazer, e com isso seu companheiro de equipe, Hulkenberg conseguiu abrir a vantagem que precisava para garantir o P10 em Jeddah.

Para Vowles, essas táticas levantam questões sobre a esportividade e a viabilidade das estratégias adotadas pela Haas. Ele acredita que a F1 deve revisar essas práticas para garantir um ambiente de corrida justo e competitivo.

Apesar dos contratempos, Vowles está otimista em relação ao desempenho da Williams nas próximas corridas. Ele acredita que o carro tem potencial para lutar por pontos e espera um desempenho consistente nas próximas etapas do campeonato.