F1: Segundo Wolff, simulador da Mercedes não bate realidade do carro na pista

A Mercedes enfrenta um problema preocupante na temporada 2024 da Fórmula 1. O chefe de equipe, Toto Wolff, revelou discrepâncias entre os dados de simulação e o desempenho real do carro na pista.

Mesmo com o otimismo inicial com o W15, a equipe alemã terminou a corrida da Arábia Saudita apenas na sexta e nona colocações. O carro sofreu para lidar com as mudanças bruscas de direção em alta velocidade do circuito de Jeddah.

Segundo Wolff, o déficit não está relacionado apenas à configuração da asa traseira. “Há um fator maior por trás da falta de velocidade em linha reta do que apenas a asa traseira”, afirmou.

Os simuladores da Mercedes não estão fornecendo informações precisas, o que gera frustração na equipe. “Nossos simuladores nos apontam para uma direção e esse é o leque de ajustes que escolhemos. Mas não é um grande corredor de performance. É algo mais fundamental, acreditamos que a velocidade deveria estar lá, medimos o downforce, mas não o encontramos no tempo de volta”, afirmou Wolff.

Apesar do problema, a Mercedes conseguiu resolver outras questões que a atrapalhavam em 2023, como o comportamento instável da traseira do W14. No entanto, o retorno do ‘porpoising’ também é uma preocupação para a equipe.

Wolff se mostrou confiante na capacidade da Mercedes de solucionar seus problemas atuais. “Já são dois anos e meio que estamos perseguindo isso… é preciso identificar algo para desbloquear o desempenho. Vamos trabalhar duro para entender os dados e voltar mais fortes em Melbourne”, finalizou o chefe da Mercedes.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ o GP da Arábia Saudita com o jornalista Rodrigo França direto de Jeddah.