F1: Segundo imprensa, Silverstone vai pagar US$ 38 milhões por ano pelo GP da Inglaterra

Graças a um novo contrato com duração de dez anos, Silverstone vai continuar no calendário da Fórmula 1 até pelo menos 2034. Nesta semana, a F1 e a administração do circuito anunciaram a prorrogação do atual contrato. Certamente não foi barato esse acordo para o circuito britânico.

Segundo algumas fontes da imprensa inglesa, o valor pago pelo circuito à F1 chega a US$ 38 milhões, US$ 6 milhões a mais do que a taxa atual de Silverstone. No entanto, em comparação com os GPs realizados no Oriente Médio, é uma quantia insignificante. De acordo com rumores, Arábia Saudita e Catar pagam US$ 88 milhões anualmente.

Com esse montante, Silverstone superou outro candidato para realizar um GP na Inglaterra. A Fórmula 1, especialmente o CEO da categoria, Stefano Domenicali, via com bons olhos a ideia de sediar uma corrida no centro de Londres. Embora a capital britânica não tenha rejeitado um GP nas ruas da cidade, o plano inicial parecia ter muitos problemas.

Se mostrou impraticável fechar uma das cidades mais movimentadas do mundo para o tráfego regular durante vários dias, talvez até semanas. Silverstone também tem desvantagens, principalmente a difícil acessibilidade do circuito, mas por outro lado, faz parte do patrimônio da Fórmula 1.