F1: Red Bull tem “calmaria” antes de nova tempestade com Horner

Embora aparente uma certa tranquilidade na Red Bull Racing nos últimos dias, com menos notícias e entrevistas bombásticas, tudo indica ser apenas uma ‘calmaria antes da tempestade’. A funcionária da equipe que acusou Christian Horner de comportamento inadequado, entrou com um recurso e acionou o comitê de ética da FIA, tornando as notícias antes do GP da Austrália de Fórmula 1 explosivas mais uma vez.

Max Verstappen encontrará em Melbourne uma Red Bull tão dividida quanto a que deixou em Jeddah. Seu pessoal de gerenciamento e principalmente seu pai, o ex-piloto de F1 Jos Versatppen, acredita que Horner deveria sair da equipe, e o holandês pode fazer isso, caso Horner permaneça em seu cargo atual. Enquanto o chefe de equipe permanecer, Verstappen enfrentará questionamentos constantes sobre a situação interna e seu futuro.

Adrian Newey ficará na Inglaterra para desenvolver o RB17, o hipercarro específico para circuitos de rua. Helmut Marko, que anteriormente temia suspensão por supostos vazamentos sobre Horner, estará presente no GP. A postura firme de Verstappen: ‘Se Helmut sair, eu saio’, evitou a punição para o concultor da Red Bull, mas ele deverá responder pela crise.

Horner também será alvo de perguntas sobre o recurso e a queixa na FIA. Sua reação defensiva em Jeddah dificilmente mudará em Melbourne.

A imprensa britânica, em especial, vem intensificando a cobertura sobre o assunto. O Daily Mail dedicou mais de 200 artigos ao caso, questionando abertamente porque Horner não admite o suposto caso extraconjugal. Com a FIA sem decisões imediatas, o foco em Horner e na Red Bull deve permanecer em Melbourne e possivelmente na etapa seguinte, no Japão.