F1: “Red Bull segue forte mesmo se Horner sair”, afirmou Schumacher

O ex-piloto de Fórmula 1, Ralf Schumacher, acredita que a Red Bull não sofrerá grandes impactos caso Christian Horner deixe a equipe, após a investigação interna sobre a acusação de ‘comportamento inadequado’ feita por uma funcionária do time.

Horner esteve presente nos testes de pré-temporada e também está no Bahrein para o GP deste final de semana, enquanto especula-se que o resultado da investigação, e portanto a decisão da Red Bull sobre o futuro de Horner, pode ser anunciado antes do GP.

Único chefe de equipe da Red Bull desde a estreia do time na F1 em 2005, Horner é o líder mais longevo do grid e acumula grande sucesso. Mesmo com sua possível saída, Schumacher aposta na continuidade da equipe.

“As estruturas corretas estão estabelecidas”, disse Schumacher à agência de notícias alemã DPA. “Houve turbulências na equipe, e ouvi dizer que também há problemas internos. A questão é se as pessoas estão tão divididas que não podem mais trabalhar juntas.”

“Para Max Verstappen, que tem em seu pai Jos e no consultor da Red Bull, Helmut Marko, confidentes de longa data, é importante que a relação com os engenheiros não seja afetada. Caso Horner saia, não vejo perigo para a equipe. Imagino que outra pessoa também possa liderar a Red Bull Racing”, encerrou Schumacher.