F1: Red Bull explica adoção de soluções da Mercedes no RB20

A Red Bull revelou os motivos por trás da adoção de soluções inspiradas na Mercedes em seu carro de 2024, o RB20. A equipe buscava evitar um ‘teto’ de desenvolvimento com o conceito anterior e buscou inspiração na rival para potencializar o desempenho.

Embora a Red Bull fosse favorita a evoluir o RB19 dominante de 2023, a equipe surpreendeu ao apresentar um RB20 com modificações significativas para a temporada 2024 da Fórmula 1. O novo carro conta com entradas de ar laterais verticais, similares ao conceito ‘zeropod’ usado pela Mercedes em 2022 e parte de 2023, e uma abertura profunda na carenagem do motor, também inspirada na equipe alemã.

Pierre Wache, diretor técnico da Red Bull, afirmou que a equipe inicialmente se inclinava por um caminho próprio, mas optou por seguir a direção da Mercedes baseada em dados e simulações. Ele ressalta a importância de se basear em evidências ao invés de emoção: “Como seres humanos, preferimos fazer as coisas do nosso jeito, mas é perigoso. Temos que seguir o que o cronômetro diz ser melhor.”

Wache esclarece que a Red Bull não vê a adoção de soluções da Mercedes como uma cópia, mas sim como uma evolução estratégica: “Não a considero a mesma coisa, na verdade, é bem melhor.”

O diretor técnico explicou que a preocupação com o avanço da concorrência motivou a mudança radical: “Sabemos que os outros vão se aproximar, e sabíamos que nosso conceito estava chegando ao limite do que podíamos alcançar. Tínhamos que arriscar um pouco para buscar um ritmo de desenvolvimento diferente.”

Apesar das mudanças audaciosas, Max Verstappen dissipou as dúvidas ao liderar o primeiro dia de testes de pré-temporada no Bahrein por mais de um segundo. Wache afirma que a Red Bull não considera a escolha como uma aposta, mas sim um ‘risco calculado’ com potencial de ganho significativo: “Não apostamos, apenas assumimos riscos. É diferente. Não fazemos as coisas baseadas no que não sabemos”, encerrou o diretor da Red Bull.